Foto: Reprodução

A vacinação contra covid-19 será crucial para sustentar a demanda doméstica por carne de frango no curto prazo, disseram analistas do Rabobank em relatório divulgado nesta semana.

“Nos próximos meses, a demanda doméstica deve se recuperar sazonalmente e pode ser impulsionada pelo novo pacote de auxílio emergencial”, disse o Rabobank.

“No curto prazo, uma maior velocidade na vacinação deverá ser um ponto crucial para sustentar a recuperação da demanda doméstica, já que apenas 4% da população foi vacinada até agora.”

O consumo brasileiro de carne de frango teve forte queda nos primeiros meses deste ano, desafiando o setor produtivo, devido ao fim do auxílio emergencial em janeiro e a uma nova onda de contaminações pela covid-19, registrando números superiores ao verificado na primeira onda da doença no ano passado.

A cadeia de produção de carne de frango também sofre pressão dos altos custos de produção, devido ao aumento recorde nos preços de grãos usados para nutrição animal.

“Parte da redução na lucratividade foi mitigada pelas exportações e pela desvalorização da moeda, mas algumas regiões tiveram de reduzir o ritmo de produção para adaptar-se à demanda atual”, disse o Rabobank.

Além na redução da demanda doméstica, frigoríficos brasileiros também tiveram queda nas compras pela China no início do ano.

Segundo o Rabobank, as importações totais chinesas de carne de frango desaceleraram no início do ano devido às inspeções mais rígidas nos portos e preocupações em relação a produtos importados em meio à pandemia.

A participação de mercado do Brasil no atendimento à demanda por carne de frango da China caiu de mais de 67% em 2019 para abaixo de 46% atualmente, segundo o banco.

O Rabobank espera que importações chinesas continuem desaceleradas nos próximos meses diante do aumento nas inspeções nos portos.

Fonte: CarneTec