Vereadora Olinda Fiorentin e a juíza eleitoral. Dra Luciana Beal.

A diplomação dos representantes eleitos no último dia 15 de novembro foi realizada no Cartório Eleitoral de Toledo na manhã desta sexta-feira (18). Com acesso restrito e com todas as normais de segurança, prefeito e vereadores foram recebidos e diplomados pela Juíza Luciana Lopes do Amaral Beal.

Emocionada, Olinda recebeu a imprensa e falou da grande conquista de ser eleita para mais uma missão de defesa das causas da população de Toledo. “Eu estou aqui exatamente pela confiança das pessoas e meu compromisso está reafirmado com a querida população de Toledo. A caminhada vai continuar”, declarou a vereadora.

Reeleita com mil votos, lembrou a trajetória do primeiro mandato em que foi autora de sete importantes leis, entre elas a Lei 130/2017 que proíbe a inauguração das obras publicas inacabadas. Outra lei que a vereadora é autora está relacionada a proibição de publicidade nas placas de inauguração de pessoas ou cargos que não tiveram relação com a obra, moralizando a conduta dos bens públicos.

Em outros eixos, a vereadora preocupou-se em apresentar a Lei 15/2019 que colocou fim nos fogos com estampidos, que emitem barulho e prejudicam idosos, autistas, animais entre outros.

A Lei 44/2018 conhecida como a Lei do Desengasgo, que obriga e sensibiliza quanto às informações que podem salvar vidas também foi elaborada pela vereadora.  Outras Leis garantiram tanto o desembarque humanizado para passageiros idosos e com deficiência no período noturno como também a implantação de câmeras de monitoramento nas escolas e Cmeis, gerando segurança para alunos, servidores e familiares. A prioridade de atendimentos no serviço público e nas instituições bancarias para pacientes em tratamento oncológico (câncer) foi estabelecida pela Lei 66/2019 de autoria de Olinda Fiorentin.

UM ANO DIFÍCIL – Olinda antes de ser reeleita enfrentou um ano muito desafiador. Além de um sério tratamento de saúde, a vereadora enfrentou a perda do meu irmão mais novo, Odacir Fiorentin, na reta final do seu mandato. Olinda lembrou que os quase 30 anos de serviço público e a vida dedicada para a comunidade trouxe a ela capacidade de compreender e lutar pelas causas publica e pelo bem comum.