COVID-19 matou mais os idosos em Toledo

Todos os órgãos e profissionais de imprensa de Toledo, foram convocados pelo Município através da SECOM, para uma “reunião” de trabalho, assim a classifico, porque assim foi. Afirmo que, pela primeira vez se fez uma explanação técnica com o perfil dos contaminados, regiões e bairros com maiores incidências e, seu “calcanhar de Aquiles”, os idosos.

COVID-19 matou mais os idosos em Toledo I

Presentes, Dr. Fernando Pedroti, Secretária de Saúde Denise Liel, Dr. José Roberto Moreira, Dra. Gabriela Kucharski que apresentou a imprensa detalhadamente o quadro infectaria em Toledo.

Dr. Fernando Pedrotti, afirmou que a maior preocupação é com o público com mais idade. “Embora a gente perceba uma tendência de queda no número de novos casos da Covid-19 em Toledo isso não está significando no grupo dos idosos.

Esse público mantêm o número de casos que tinha em semanas anteriores. Nós tínhamos 50 casos novos, três a quatro idosos entre esses 50. Hoje temos 12, 15, 20 casos com três a quatro casos destes se dando em idosos”, apontou.

Até o dia nove de agosto, 81,3% dos casos positivos da Covid-19 em Toledo são de pessoas com idades entre 20 e 59 anos. Os idosos representam 8,4% do total de casos. Porém quando são analisados os números de internamento e o número de óbitos, os idosos ocupam uma posição de destaque. 

Dos 29 óbitos, 17 eram idosos. Destes, 11 foram entre pessoas aposentadas. “Nossa linha de casos está caindo, mesmo assim entre os idosos os números se mantêm. A letalidade entre os idosos é 10 vezes maior do que nos outros públicos”, explicou Gabriela. 

Corre-corre?

Vi na tarde de ontem, um veículo de cor prata conduzido por um presidente de partido aqui em Toledo, sair carregado de “edis” mesmo a sessão ainda não conclusa. Não sei certo qual foi o destino deles, mas, deduzo que tenha sido Cascavel, já que segunda e terça-feira, todos os presidentes de partidos estavam acompanhando o governador. a nossa capital.

Corre-corre? I

Da mesma forma que vi esse grupo ir de encontro a seus comandantes que no Oeste se encontravam e ainda se encontram, creio que vários partidos se fizeram presentes na capital do Oeste. Já outros, preferiram ir a Curitiba, falar direto com quem manda. Afinal, o afunilamento e os prazos estão se esgotando para saber quem será quem na disputa da cadeira do Lúcio de Marchi.

Os prazos e as próximas eleições

Com a promulgação da Emenda Constitucional (EC) nº 107/2020, que adia eleições municipais para 15 (1º turno) e 29 de novembro (2º turno), fica estabelecida a prorrogação de diversas datas do calendário eleitoral. Confira as principais:

31 de agosto a 16 de setembro:

realização das convenções partidárias para definição de coligações e escolha dos candidatos. As convenções podem ocorrer por meio virtual.

31 de agosto a 26 de setembro:

período para o registro de candidaturas. Início do prazo para que a Justiça Eleitoral convoque partidos e emissoras de rádio e TV para elaboração do plano de mídia.

27 de setembro:

Início da Propaganda Eleitoral, inclusive na internet

15 de novembro:

1º turno das eleições

29 de novembro:

2º turno das eleições

15 de dezembro:

Último dia para entrega das prestações de contas

18 de dezembro:

 Prazo final para diplomação dos eleitos

TABELA COMPLETA NESSE LINK:

Oscar Gaspar deixa Rádio Integração

Para esse colunista, o que se vê além de suas explicativas abaixo descritas é uma pré-candidatura a vereança de Toledo. Se isso se confirmar, posso dizer que, será mais um dos bons nomes dos colegas de profissão que irão às urnas provar suas “audiências”, trabalhos e respeito.

Oscar Gaspar deixa Rádio Integração I

Assim ele se manifestou na sua página pessoal nesse 10 de agosto:

Comunico meu desligamento oficial da Radio Integração. Agradeço a todos pela oportunidade de ter feito parte de uma grande empresa de comunicação e de uma grande, talentosa e comprometida equipe de profissionais.

Fiz aquilo que possível foi para contribuir com a comunicação radiofônica comprometida com as causas coletivas, proporcionando oportunidades as mais diversas vertentes de organização e necessidades da comunidade; prezando pela imparcialidade, objetividade, inclusão e profissionalismo que carecem o bom jornalismo e aos aspectos das parcerias comerciais.

Ao cumprir a missão dada, creio que fizemos amigos, parceiros e novos produtos que ajudam a fazer do rádio, uns dos principais meios de interação social. Poderíamos ter feito mais? Sim! Quem sabe no futuro há de se concretizar.

Agora me coloco em outra missão, de juntos de pessoas igualmente extraordinárias, construir proposta viavel, possível e necessária, para construir uma Toledo mais solidaria e mais sustentável ambiental, econômica e socialmente.