As mamães que chegaram na terça-feira (11) para sua consulta de rotina no Ambulatório de Atendimento de Gestantes e Crianças da Paulista foram recebidas com um ambiente diferenciado e todo decorado. É que ontem teve início a Semana Mundial do Aleitamento Materno em Toledo. A programação se estende até o dia 18 de agosto. O Tema deste ano é “Apoie a amamentação para um planeta mais saudável”.

Além dos ambientes carinhosamente decorados, as gestantes terão contato com vários vídeos institucionais orientando sobre temas relacionados a amamentação. Os profissionais da Secretaria de Saúde organizaram espaços ilustrativos com informações sobre: 1 – Impacto financeiro no orçamento familiar onde não há aleitamento materno; 2 – Impacto no meio ambiente com descarte das latas de leite; 3 – Repercussão na saúde das crianças/adolescentes que tiveram aleitamento materno exclusivo até o 6º mês de vida. 

“O objetivo é o incentivo ao aleitamento materno, além de auxiliar nas dificuldades da amamentação o quanto antes, para evitar o desmame precoce”, explicou a Gerente do Ambulatório de Atendimento de Gestantes e Crianças da Paulista, Márcia Mallmann.

Ela explica que logo que a mulher tem o bebê acontece uma mudança hormonal que pode causar toda essa ansiedade e dificuldade para amamentar. “Isso é muito habitual. A mamãe tem aquela preocupação se está amamentando suficiente. Nessa fase é normal a criança chorar para se comunicar, às vezes até para ouvir a própria voz. A melhor dica é manter a calma e procurar orientação. Nós sempre teremos um enfermeiro disponível para a orientação individual com a mãe puérpera”, destacou Márcia. 

Pós orientação

A Auxiliar Administrativa Maiara Kerber, 21 foi uma das mamães que foram atendidas ontem no ambulatório. Ela não estava conseguindo amamentar o pequeno Arthur, de quatro dias e chegou a pensar até em abandonar a amamentação do peito. “Eu estava com os seios rachados e com bastante dor para amamentar, mas depois da orientação da enfermeira não dói mais. A posição que eu estava amamentando não estava correta. Pra mim mudou totalmente, agora até a posição dele está mais confortável”, relata a mãe do Arthur. 

Ela elogiou o atendimento e confessou que durante a gravidez não pensou muito nessa fase. “Durante a gestação a gente nem pensava nessa parte da amamentação. Fiz o pré-natal no Paulista e sempre fui bem atendida”, enfatizou Maiara, que mandou um recado para as outras futuras mamães: “não se desesperem e procurem a unidade de saúde para ajudar. No começo da amamentação foi bem difícil, mas com a ajuda da enfermeira mudou tudo”, afirmou Maiara com uma expressão de felicidade. 

Aleitamento

Um dos principais objetivos da ação é aumentar o vínculo com o aleitamento materno. Segundo o Enfermeiro Marcos Fernando Soares, até os seis meses de idade a criança deve receber exclusivamente o leite materno. “Nem água, nem chá, nada mais até os seis meses. Após isso começa a introdução alimentar, mas o leite materno continua sendo o predominante até os dois anos ou mais, conforme a aceitação da criança”, frisa. 

Pilares da amamentação

Os profissionais de saúde esclarecem, principalmente durante essa semana, alguns mitos que as mulheres devem evitar. O principal deles refere-se a “dieta”. “Isso é mito. Para a produção do leite é necessário seguir os três pilares: estar descansada, ter uma boa alimentação e cuidar da hidratação. Não é hora de fazer dieta. Durante a gravidez comia-se de tudo, então não faz sentido depois que o bebê nasce tomar apenas uma sopinha. A própria amamentação já queima calorias, mais que fazer uma aula de jump”, explica o Enfermeiro Marcos. 

Hora da Saúde

Como as gestantes não estão mais se reunindo para as orientações em Sala de Espera durante as consultas do pré-natal, a Secretaria de Saúde criou uma sequência de lives intitulada Hora da Saúde. Todas as terças-feiras a partir das 19h pelas redes sociais da Prefeitura de Toledo são abordados temas que normalmente eram trabalhados presencialmente. Profissionais da saúde apresentam o assunto da semana e o público tem a oportunidade de questionar e ter suas perguntas respondidas ao vivo. 

Fonte: Secom/Pref. de Toledo