Câmara Municipal de Toledo. Foto: Carlos Rodrigues

Depois que noticiamos as denúncias do ex-assessor Valderi Muller sobre o “modus operandi” do vereador Gilson Francisco para pôr a mão em “granas”, será que não virão à tona “consignados” de outros vereadores, daqueles que mesmo que quisessem, não podiam demitir os assessores?

Cada ação gera uma reação, Fato! I

Dos leitores:

[07:37, 26/11/2021]  Eliseu, bom dia. O jornalista Eliseu, a pessoa Eliseu, o órgão de imprensa Gazeta de Toledo me levam a reconhecer o relevante e insubstituível papel do jornalista, da pessoa e do órgão de imprensa em prestar à população, seus leitores, anunciantes…a luz de princípios éticos, morais, cidadania…o exemplar trabalho de divulgar e exigir das autoridades a investigação e punição ao senhor Gilson Francisco, contumaz infrator, conforme matéria disponível na edição desta sexta-feira.

[07:41, 26/11/2021]  Agora, uma indagação: voto obrigatório? Os eleitores deste senhor deveriam ser solidários e responderem individualmente aos danos à imagem da cidade, a nobre função pública eletiva, que fica ainda mais desacreditada e aos custos pecuniários visto que perceberá remuneração sem trabalhar e não, como será repartido entre todos os contribuintes.

[07:44, 26/11/2021]  E, aqueles políticos e prefeitos que o mantiveram sob suas asas, dando benesses como cargo de diretor, encostando aqui e ali, incentivando a criar associação de apoio a imigrantes para fins de apoio político (votos nas eleições), criando uma verdadeira cobra cascavel, com guizos que já denunciavam o caráter perverso do mesmo?

Câmara de Toledo notificou vereador Gilson Francisco

Na manhã de quinta-feira, dia 25 de novembro, a Câmara Municipal de Toledo notificou o Vereador Gilson Francisco da decisão judicial comunicada no fim da tarde de quarta-feira, dia 24, às 17h, sobre a suspensão e afastamento do cargo. A comunicação ao vereador foi feita às 11h15 pelo assessor jurídico Eduardo Hoffmann, no escritório de seu advogado, Dr. Almir Bandeira.

Plano Diretor e as novas Leis

Está marcada AUDIÊNCIA PÚBLICA para as discussões das Mensagens Aditivas nº 11 a 21, de 2021, e os projetos de leis que integrarão o Plano Diretor de Toledo. O evento será realizado na Câmara Municipal e as entidades representativas da comunidade terão a oportunidade de participar e terão até o dia 6 de dezembro de 2021 para apresentem sugestões de alterações às matérias que serão apresentadas.

Plano Diretor e os “interesses”

Nessa quinta-feira, a comissão recebeu alguns membros da sociedade, e entre eles, sem qualquer menosprezo aos demais que estavam presentes, dois cidadãos do mundo jurídico que merecem respeito: Dr. Leonildo Baggio, ex-diretor da Unipar, e Dr. Hélio Lulu. Um deles reviveu a história dos planos diretores, inclusive sobre os imbróglios causados e só resolvidos na Justiça. O outro, já entende que o bairro “La Salle”, como o chamam, “já foi descaracterizado” da unifamiliar.

Plano Diretor e os “interesses” I

Seria muita “tapadice” de minha parte achar que o direcionamento do crescimento de uma cidade estaria apenas no campo da “tecnicidade”, o seria o obvio. Sem medo de errar, é que todas as cidades irão “crescer e expandir” para o lado dos “fortes grupos econômicos”, que nem sempre são preocupados com a cidade e seus habitantes, e sim com o lucro, nem que para isso tenha que mudar as leis.

Plano Diretor e os “interesses” II

Aquele famoso “jeitinho” sempre impera. Que o digam alguns moradores dos primeiros lotes de Toledo, em sua maioria com 1000 m2, bem na área central, que questionaram o porquê de na quadra ao lado poder construir até 30 andares e noutra não. Como se explica uma meia dúzia de donos de lotes no Loteamento Menino Deus, próximo do Parque Ecológico Diva Paim Barth, influenciar na mudança do Plano para construir prédios e faturar?

Plano Direto e os “interesses” III

Meu “urubu-zoneiro” grunhiu-me que “duvida que esse Plano Diretor” será aprovado, e se for, vai novamente para a Justiça.

Entrevista de sábado

Mário Bracht foi um criador da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Toledo – FUNTEC -, e hoje ocupa o cargo de assessor especial de projetos. Também estarei entrevistando o professor Carlos Nascimento, diretor da FUNTEC, que falará sobre a “sustentabilidade da cadeia suinícola” de Toledo.