Foto: Cláudio Neves/Portos do Paraná

Dos países do Oriente Médio, os Emirados Árabes Unidos foram os responsáveis por 93% das importações das rações brasileiras

De acordo com dados divulgados pelo ComexStat, o Brasil exportou mais de 92 mil toneladas de ração animal, resultando em US$ 39,28 milhões. Dos países pertencentes ao Oriente Médio, os Emirados Árabes Unidos foram os responsáveis por 93% das importações das rações brasileiras, gerando uma receita de US$ 25 mil. http://comexstat.mdic.gov.br/pt/comex-vis . As rações exportadas foram para atender o mercado de aves, bovinos, cães e gatos, equinos, peixes e outros. O mercado está em expansão e tende a crescer nos próximos anos.

Exportação de ração halal – Para exportar para a maioria dos países árabes muçulmanos é necessário que a empresa tenha a certificação halal, comprovando que o produto e o processo de produção foram produzidos de acordo com as normas da jurisprudência islâmica.

Essa certificação nada mais é do que o atestado de que as rações são halal (que em árabe quer dizer permitido). “Para que o muçulmano possa consumir proteínas animais, não somente o produto deve ser certificado, mas como todo o processo produtivo, inclusive a nutrição, atestando boas práticas de fabricação, segurança e de qualidade “, comenta o gerente de Relações Internacionais da Cdial Halal, Omar Chahine.

Atualmente, são 1.8 bilhão de muçulmanos no mundo e a previsão é chegar a 3 bilhões até 2030.

A Cdial Halal – uma das maiores e importantes certificadoras halal do Brasil. É única certificadora da América Latina acreditados pelos principais órgãos oficiais dos Emirados Árabes (EIAC) e do Golfo (GAC), o que confere seriedade e competência nos segmentos que atua. “São certificações que comprovam que seguimos as rígidas regras e garantimos a excelência e integridade dos produtos e empresas acreditadas. Reconhecida como a certificadora brasileira com maior número de categorias certificadas pelo GAC”, complementa Chahine.

Fonte: Assessoria