Dilceu Sperafico*

Demonstrando que a agropecuária nacional é produtiva, diversificada, moderna e sustentável, ao contrário de ações ilegais, como desmatamentos e contaminação de rios, de garimpeiros e grileiros de terras públicas, denunciados diariamente por meios de comunicação, a Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimentos (Apex-Brasil), lançou no dia 14 deste mês de setembro, nova campanha de promoção da atividade junto a importadores e consumidores do mundo inteiro.

Trata-se do segundo ciclo do Programa de Acesso a Mercados do Agronegócio Brasileiro (PAM-AGRO) 2021-2023, que será desenvolvido ao longo dos próximos dois anos junto a mercados estratégicos, destacando atributos positivos dos produtos agropecuários do País, com benefícios para produtores, trabalhadores rurais e urbanos, transportadores, industriais, distribuidores, comerciantes, exportadores e a economia nacional.

As finalidades e desafios do PAM-AGRO 2021-2023 serão impulsionar exportações a partir da melhoria da percepção de mercados internacionais estratégicos sobre a qualidade dos produtos do agronegócio brasileiro, através de esforço concentrado na elaboração e disseminação de informações que destaquem a sustentabilidade, produtividade, diversidade, qualidade e tecnologia dos alimentos e matérias-primas do País.

O foco inicial dessa edição é o continente europeu, considerado um grande influenciador da opinião pública internacional e um dos principais destinos das exportações do Brasil, mas o objetivo é demonstrar ao mundo inteiro que o agronegócio nacional cultiva pequena parcela do território nacional, preservando recursos naturais, visando a estabilidade climática, fundamental à sua própria sobrevivência e rentabilidade.

Conforme dirigentes da Apex-Brasil e instituições representativas do setor, a grande meta da campanha é informar com exatidão e transparência, a realidade e singularidade do agronegócio nacional e o potencial e preservação do território brasileiro, intensificando e aprimorando o combate à desinformação, de parte de países concorrentes ou de ambientalistas radicais e desinformados sobre a atividade produtiva.

O objetivo, segundo as lideranças, é demonstrar e comprovar o que é o agronegócio brasileiro de fato e suas contribuições para o desenvolvimento sustentável, assegurando o fundamental equilíbrio entre os pilares econômicos, sociais e ambientais, com verdadeiras referências como são a agricultura de baixo carbono, as energias limpas e renováveis e as tecnologias e inovações que operam verdadeiros milagres, em favor da preservação dos recursos naturais.

Entre as entidades que integram a campanha da Apex-Brasil, estão  instituições respeitadas como Associação Brasileira do Agronegócio,  Associação Brasileira da Indústria de Alimentos, Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes, Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais, Associação Brasileira de Proteína Animal, Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados, Associação Brasileira dos Produtores de Algodão, Associação dos Produtores de Biocombustíveis do Brasil, Associação Brasileira de Cafés Especiais,  Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos, Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil e Organização das Cooperativas Brasileiras, entre outras.

*O autor é ex-deputado federal pelo Paraná e ex-chefe da Casa Civil do Governo do Estado

E-mail: dilceu.joao@uol.com.br