Amélio Dezem e sua história na Gazeta de Toledo

    https://tamilsexstories.world/
    serviporno the perfect european milf.
    erotic african twinks on bareback fuck.you can try these out bhabhi sex

    Amélio Dezem, um “louco” por vinho

    O empresário e apaixonado por vinicultura Amélio Dezem morreu nessa terça-feira, 20 de julho, aos 65 anos. Seu corpo foi cremado, conforme seu pedido atendido pelos familiares, que fizeram o translado à cidade de Francisco Beltrão para os atos fúnebres finais.

    Um outro pedido seu ainda no foi atendido. O de que nossas autoridades mudem a Lei que impede o município de fazer homenagens a pessoas ainda em vida. Isso é uma vergonha. Em Toledo, que ainda lembro-me, apenas dois cidadãos tiveram esse merecimento em vida: Dr. Adilson Carlos Bier e Ondy Hélio Niederaurer.

    Uma história para contar e recordar

    Toledo entrou oficialmente para a rota brasileira de produção de vinhos finos. O complexo Vinícola Dezem foi inaugurado numa solenidade que aconteceu a partir das 18h30 do dia 23 de maio de 2005, com muita chuva, reunindo enólogos de todo o país, autoridades politicas estaduais, regionais e municipais, e incentivadores do projeto. O secretário do Desenvolvimento Urbano, Renato Adur, representou o governo do Estado no evento.

    Amélio quando voltou a Toledo, na década de 90, desfocou dos demais empreendimentos, até então tidos como prioridades em sua vida, para se dedicar a viticultura. Em uma de suas visitas à Gazeta de Toledo, nos afirmou que iria instalar em Toledo um vinícola de vinhos finos, e a reação da maioria dos presentes não podia ser outra, a não ser de chamá-lo de “louco”.

    Disse que já tinha as analises da terra e já sabia onde iria produzir 6 variedades que mais adaptam a esse clima, pois a terra prometia ter uma boa qualidade em “ferro” disse, bastando então que as mesmas peguem 12h de sol e claridade.

    6 anos depois o então “projeto” se tornou real e a Vinícola Dezem de Toledo quebrou um tabu no Paraná, pois não havia qualquer estudo ou cultura que confirmasse e/ou animasse alguém a investir e produzir boas variedades de uvas finas nessas terras vermelhas. De tais produtos só se ouvia falar em boas produções nas terras do Rio Grande do Sul e na vizinha Argentina e no Chile.

    Esse colunista e demais membros da Gazeta participaram desde o início das obras até o ato inaugural, e presenciamos não só plantação das “cepas”, como também vimos a produção de uvas se tornarem vinhos. Estávamos diante de um público bem seleto, formado, em sua maioria, pelos melhores “degustadores”, oriundos da alta sociedade, e conhecedores dos melhores vinhos do Brasil e do mundo vitícola. Vou resgatar algumas imagens de nossa cobertura desse grande evento que projetou Toledo e o Paraná como produtor de vinhos finos.

    R$ 300 mil ao Bom Jesus

    Em sua estada por Toledo no ultimo sábado, o deputado federal Aroldo Martins repassou ao Hospital Bom Jesus documento na ordem de R$ 300 mil para aquisição de equipamentos e auxilio para custeios.

    Dr. Cláudio Tomuo Hayashi (Presidente do Conselho de Adm.), Neudir Shumacher (Tesoureiro do Conselho de Adm.), Dr. Torao Takada (Diretor Clínico), Zulnei Aparecida Bordin (Superintendente), deputado municipalista Aroldo Martins, deputado estadual Alexandre Amaro, assessor parlamentar Ricardo dos Santos.

    Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
    Facebook
    Twitter
    Youtube
    Instagram