Volume de serviços cresce 2,1% em novembro no Paraná

    Hotel Mabu. Foto: José Fernando Ogura/ANPr

    É a quarta variação mensal positiva no setor depois do começo da pandemia

    O volume do setor de serviços cresceu 2,1% no Paraná em novembro de 2020, espelhando a evolução nacional nesse recorte, de 2,6%. O turismo, que faz parte desse contexto, registrou aumento de 1,2% no período, recuperando parte das perdas do ano passado. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    É a quarta variação mensal positiva no setor depois do começo da pandemia. Também houve crescimento em julho (1,7%), agosto (1,6%) e setembro (2,9%). O resultado é superior a Santa Catarina, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia.

    No turismo é a quarta evolução consecutiva e a melhor entre os estados do Sul. Além de novembro, registraram bons indicadores agosto (31,2%), setembro (10,8%) e outubro (8,5%). Os dados são um comparativo entre o mês de divulgação e o mês exatamente anterior.

    A pesquisa do IBGE abrange hotéis, agências de viagens, restaurantes, serviços ambulantes de alimentação, transporte, parques, casas culturais, academias de condicionamento físico, lavanderias, cabeleireiros, serviços gerais de apoio e ensino de idiomas. Essas atividades estão entre as mais impactadas pela crise provocada pelo coronavírus.

    “Apesar do ano difícil, o Paraná registrou um segundo semestre de recuperação econômica. Houve crescimento na produção industrial, no comércio, nos empregos e começaram a aparecer indicadores mais positivos também no setor de serviços. Nessa retomada, é uma área que temos buscado fomentar com crédito, simplificações burocráticas, auxílio técnico e atração de investimentos”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

    Ele lembrou que o setor foi o segundo que mais contratou até novembro, com saldo positivo de 10.134 carteiras assinadas, atrás apenas do comércio (11.832). O Estado acumula 61.586 empregos formais de janeiro a novembro de 2020, o segundo melhor resultado do País, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

    No recorte mais ampliado, os números do setor no Paraná ainda sentem os impactos da pandemia do novo coronavírus e as medidas restritivas de circulação. As perdas foram de 8,6% na comparação com novembro de 2019, 10% no acumulado do ano e 9,5% no acumulado dos últimos doze meses. Os indicadores espelham, mais uma vez, os dados nacionais.

    No acumulado do ano, o Paraná registra recuos nos cinco principais subgrupos analisados pelo IBGE: serviços prestados às famílias (-35,1%), outros serviços (-9,4%), serviços de informação e comunicação (-8,9%), transporte, serviços auxiliares ao transporte e correios (-8%) e serviços profissionais, administrativos e complementares (-5,9%).

    RECEITA – No recorte de receita do setor houve incremento de 2,5% no Paraná em novembro, superior a Santa Catarina e Rio de Janeiro. Foi a quinta alta consecutiva depois de crescimento de 2,4% em julho, 3,2% em agosto, 4,2% em setembro e 1,8% em outubro. A receita do turismo cresceu 1,4% no Paraná em novembro.

    TURISMO – A evolução de 1,2% no volume do turismo é parte de um crescimento observado desde agosto no setor. Também é resultado de medidas de segurança adotadas nos parques e da confiança dos paranaenses em viajar. Pesquisas da Paraná Turismo indicam que houve aumento gradativo no indicador de confiança a partir do segundo semestre do ano passado.

    Segundo o IBGE, a pandemia impactou um setor que tinha expectativa de alta no Estado em 2020. Em janeiro o crescimento foi de 6,5% em relação a janeiro de 2019, puxado pelos investimentos no Litoral, novas linhas aéreas conectando o Interior à Capital e dos recordes de visitações registrados em Foz do Iguaçu.

    Depois disso, com a interrupção dos voos e as limitações de deslocamento, foram três meses de baixa e uma recuperação em maio (25,9%) e junho (18,4%), com a reabertura de alguns locais. Em julho houve nova baixa e em agosto começou a retomada mais vigorosa. A variação acumulada no ano ainda registra recuo, de 35,2%.

    Para estimular o turismo responsável com todos os cuidados contra a Covid-19, o Governo do Estado criou um Plano de Retomada do Turismo em parceria com a iniciativa privada para ampliar a divulgação dos locais de visitação, com uma nova fase sendo iniciada a partir de março. A Paraná Turismo também tem apoiado o cadastramento de agentes do setor no Selo Turismo Responsável, que estabelece boas práticas de biossegurança.

    NACIONAL – O volume de serviços cresceu 2,6% no Brasil em novembro frente a outubro, sexta taxa positiva seguida, gerando ganho acumulado de 19,2%. No confronto com novembro de 2019, o volume de serviços recuou 4,8% em novembro de 2020. No acumulado do ano, o volume de serviços caiu 8,3% frente a igual período de 2019. Regionalmente, 19 das 27 unidades da federação assinalaram expansão no volume de serviços em novembro.

    A alta de 2,6% foi acompanhada pelas cinco atividades investigadas. Os destaques foram para transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (2,4%), serviços prestados às famílias (8,2%) e profissionais, administrativos e complementares (2,5%). Os demais avanços vieram dos serviços de informação e comunicação (0,5%) e de outros serviços (0,5%).

    O índice de atividades turísticas cresceu 7,6% frente ao mês imediatamente anterior, sétima taxa positiva seguida, período em que acumulou ganho de 120,8%. Mas, segundo o IBGE, o segmento ainda necessita avançar 42,8% para retornar ao patamar de fevereiro de 2020.

    Fonte: Agência Estadual de Notícias

    Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
    Facebook
    Twitter
    Youtube
    Instagram