Foto: Divulgação/Unioeste

O projeto intitulado “Presença de hidrocarbonetos policísticos aromáticos nos grãos de milho decorrente do processo de secagem” faz parte da dissertação de mestrado da aluna Joyce Bueno Mafra do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Energia na Agricultura (PPGEA) da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Campus de Cascavel. A atividade também conta com a parceria do mestrando Telvi Marcelo Branco.

A proposta consiste em uma análise química da presença de Hidrocarbonetos Policíclicos Aromáticos (HPAs), resultante de compostos produzidos pela queima incompleta de substâncias orgânicas como o carvão, a lenha e a gasolina nos grãos de milho decorrentes do processo de secagem nas agroindústrias.

O trabalho possui o objetivo de avaliar os efeitos da queima de biomassa como fonte de aquecimento do ar de secagem e do beneficiamento industrial sobre as propriedades de avaliação tecnológica de qualidade dos grãos de milho e sobre o acúmulo de HPAs.

Com a pandemia da Covid-19 o projeto teve que se adaptar, segundo Joyce. “Principalmente no quesito distanciamento social para a coleta dos dados na cooperativa e a higienização pessoal dos acadêmicos, além do uso contínuo de máscara e álcool em gel. Sempre levando em consideração as diretrizes da empresa com relação a pandemia”, complementa.

Já quanto às atividades desenvolvidas pelo projeto, Joyce explica que a viabilização foi estabelecida por meio da parceria com a cooperativa Copacol, da colônia Melissa em Cascavel, para a coleta de dados em uma de suas unidades armazenadoras, com o fabricante de Queimadores de cavaco IMTAB e com a indústria Kepler Werber.  “Posterior a coleta das amostras de milho, os materiais foram enviados para o laboratório de pesquisa CQA localizado do município de Campinas/SP. Assim que a pesquisa obtiver resultados, será realizada uma análise estatística para validação deles. Visando futuras publicações em revistas cientificas e eventos da área de armazenagem”, diz.

A Unioeste, conforme a mestranda relata, contribuiu muito no desenvolvimento do projeto por meio do Núcleo de Inovação e Tecnologia (NIT), sob coordenação do professor Dr. Reginaldo Ferreira.

Compuseram o trabalho a mestranda Joyce Bueno Mafra; o mestrando Telvi Marcelo Branco; o orientador Reginaldo Ferreira Santos; o engenheiro Leandro Martins representando a Copacol; Joel Padinha representando a IMTAB e a empresa Kepler Werber.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Unioeste

Texto de Luis Gustavo, sob supervisão de Patrícia Bosso.