Não é de hoje que venho propagando que os políticos de Toledo precisam se unir num mesmo objetivo, que é o bem comum do nosso município. Dia desses, numa das reclamações dos leitores da Gazeta de Toledo, ante a ausência de representantes na Assembleia Legislativa, provoquei os políticos e a população de Toledo para pensarem melhor as eleições. Os políticos deixarem de lado as vaidades pessoais e os eleitores que procurem escolher candidatos da terra. Nada contra o Sargento Fahur, mas penso que os mais de 3 mil eleitores aqui de Toledo, que votaram nele, quando insatisfeitos com algo do nosso município, devem procurá-lo em Londrina, Maringá ou no Congresso Nacional para reclamar. 

No dia em que fiz a “provocação”, atendendo também a sugestão do leitor e escritor Bruno Radunz, nessa coluna, também coloquei dois nomes, de grupos políticos diferentes de Toledo, mas com plenas condições e capacidade para representarem Toledo na ALEP: Beto Lunitti e Lúcio De Marchi! Dois apaixonados por Toledo, preocupados com as políticas públicas e interessados no crescimento e desenvolvimento econômico de Toledo. Recebi inúmeras mensagens de pessoas se solidarizando com o meu pensamento. Não poderia ser diferente, coloquei os nomes de dois líderes, com um bom quinhão de votos cada um e isso se chama “respeito” junto aos eleitores.

Se os eleitores de Toledo e os presidentes dos partidos fechassem nesse entendimento, para a escolha do próximo prefeito, não teríamos gastos nem desgastes e Toledo daria um exemplo de maturidade política para o mundo em reunir nomes e partidos “antagonistas” pelo mesmo objetivo; “O bem comum”. Caso Beto Luniti e Lúcio de Marchi, desistissem da cadeira de prefeito e aceitassem esse “objetivo” bastaria que cada um deles pescassem mais alguns votinhos nos municípios da região, pois, os números de eleitores em Toledo estão chegando aos 100 mil, quase que suficientes para elegermos no mínimo dois.

Ouço muito de alguns líderes empresariais e políticos de Toledo falarem em “inovação” ou, de que o povo quer o “novo” nas próximas eleições.

Logo, o que descrevo aqui, atende as duas supostas “preferencias” por eles citados, pois, se essa “união” acontecer, elegeremos dois deputados “novos”, mas, com experiencias para representar Toledo na ALEP e colocaríamos outros dois “novos” (prefeito e vice), também na administração. Peguem o governo de Ratinho Junior (PSD) que, juntou o novo com a experiência e já é cotado para a presidência do Brasil.  Aliás, o partido de Ratinho aqui em Toledo tem nomes filiados com todas essas qualidades e entre eles,  faço questão de citar o ex-vereador, presidente da câmara e vice-prefeito Adelar Holsbach, que é um grande sonhador em ver todos os partidos unidos pela cidade e não para seus “umbigos” ou seus  “grupos”.

Numa conversa informal, enquanto tomávamos o café da manhã, um amigo me lembrou o que Beto Lunitti e José Carlos Schiavinato discursaram, em lágrimas, durante a posse do Beto, no dia 1º de janeiro de 2013, ambos disseram naquela data que as “diferenças políticas” deveriam ficar à margem e que o “interesse (bem) comum” deveria prevalecer… Gesto de gigantes, de quem pensa grande, mas, alguns dias depois, ambos esqueceram o que falaram em momento da emoção. Eu acredito que não foi esquecimento, mas credito aos “pinschers” que circulam na volta dos eleitos, que insistem em colocar esses grandes para brigar. E como tem pinscher fofoqueiro e barulhento, inclusive, ligados ao próprio governo do estado!

Nas eleições deste ano os políticos de Toledo precisam lembrar das palavras ditas no dia 1º de janeiro de 2013, para colocá-las em prática. Vamos pensar no mesmo objetivo, o bem comum de Toledo. Vamos unir as grandes lideranças e as forças políticas em torno desse mesmo objetivo. Vamos planejar, todos juntos, a próxima gestão e, ir além, planejar a eleição de 2022, para eleger representantes de Toledo, pois não é possível o município com o 1º lugar no PIB agropecuário depender de deputados de Cascavel ou Assis Chateaubriand … ah, acabei de lembrar que esse não está deputado. Não, não podemos… Toledo é a 9ª economia do Paraná, onde a população mostra a sua pujança, sua força econômica.

Schiavinatto no Congresso Nacional, fazendo o seu trabalho nos interesses do Paraná, especialmente os de Toledo. Claro, também faz junto às autoridades do Estado, mas passa boa parte do tempo em Brasília. Precisamos de representantes junto ao governador e as Secretarias de Estado.

Senhores, está colocado à mesa… é hora de começar o trabalho em “prol do Toledo pelo mesmo objetivo, o bem comum”. Que tal unirem as forças em torno de apenas um candidato a prefeito? Temos grandes nomes nos partidos políticos de Toledo. O que vossas senhorias acham dessa sugestão? Eu acredito que seja possível, sim.

Eliseu Langner de Lima Jornalista MTPR 11737