O Prefeito de Toledo, Lucio de Marchi, manifestou apoio ao Decreto Estadual Nº 6.284/2020, assinado nesta terça-feira (01) pelo Governador, Carlos Massa Ratinho Junior, que estabelece limitação de horário para circulação de pessoas no período noturno, o chamado “toque de recolher”. O prazo de vigência é de 15 dias, prorrogáveis ou não.

De acordo com o texto, a proibição valerá durante o fim da noite e a madrugada, das 23 horas às 5 horas. A medida entra em vigor a partir desta quarta-feira (02). Apenas serviços essenciais, como saúde e segurança pública, ficam liberados da restrição. 

“Nós estamos acatando o toque de recolher do Governo do Estado como medida de prevenção e controle da pandemia da Covid-19. A Polícia Militar fará essa fiscalização e o Município continuará cobrando dos nossos empresários, principalmente aqueles que atuam no período noturno, para que verifiquem as aglomerações. Isso nós vamos fiscalizar sim, exigindo que os protocolos de segurança sejam muito bem estabelecidos e rigorosamente cumpridos para evitarmos o aumento da Covid-19”, declarou. 

Fiscalização

O Prefeito reforça a postura de não fechar o comércio, mas de cobrar e fiscalizar se as medidas de segurança estão sendo adotadas. “Quero deixar claro que o Município não vai fechar absolutamente nada. Vamos apenas cumprir as normas de segurança que são fundamentais para que o Covid-19 não tenha um crescimento acelerado”, frisou. 

Objetivo

O Secretário de Estado da Saúde, Beto Preto explicou que a resolução busca conter a movimentação de pessoas durante o período noturno, especialmente dos mais jovens. A iniciativa, reforçou ele, é para evitar aglomerações em parques, bares, festas, casas noturnas e estabelecimentos do gênero.

“A situação é muito grave. Precisamos deste toque de recolher para quebrar a velocidade de transmissão do vírus. E conscientizar as pessoas para que fiquem em casa. Quem pode, precisa respeitar o isolamento e o distanciamento social”, afirma o secretário. “É a medida para que possamos ter um Natal mais calmo. Neste momento o ritmo de abertura de leitos no Estado, seja de UTI ou de enfermaria, não consegue mais acompanhar a velocidade dos casos”, acrescenta.

Pandemia

Beto Preto lembrou que houve um aumento de 23,9% na média móvel de casos e de 6,2% na média de óbitos nos últimos 14 dias no Paraná. Atualmente, de acordo com a Secretaria da Saúde, a equação aponta para 2.635 novas contaminações por dia e 24 mortes em decorrência do coronavírus.

“É difícil falar para as pessoas permanecerem em casa depois de nove meses de pandemia. Mas precisamos com urgência tentar mais uma vez o isolamento social, uso de máscara e principalmente o distanciamento”, destaca.

O novo decreto informa que “a expansão de leitos de UTI exclusivos para Covid-19 já se encontra em seu último estágio, havendo falta de recursos humanos, insumos e equipamentos no atual panorama”.

Fonte: Secretaria Municipal de Comunicação, com informações da Agência Estadual de Notícias (AEN)