O transplante de medula óssea é um procedimento que auxilia no tratamento de algumas doenças que afetam as células do sangue, substituindo a medula deficitária por outra saudável. De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), o transplante pode ser indicado para tratar um conjunto de cerca de 80 doenças, incluindo casos de mieloma múltiplo, linfomas, doenças autoimunes, anemia aplástica grave, outras anemias adquiridas ou congênitas, e na maioria dos tipos de leucemias, como a mieloide aguda, mieloide crônica e a linfóide aguda.

O voluntário que quiser ser um doador precisa fazer um cadastro no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME), procurando um hemocentro no seu estado. O INCA recomenda que antes de se cadastrar, seja feita uma consulta de esclarecimento sobre a doação.