Restaurantes populares voltam a funcionar em Toledo e com novo valor

    https://tamilsexstories.world/
    serviporno the perfect european milf.
    erotic african twinks on bareback fuck.you can try these out bhabhi sex

    Restaurantes populares retornam ao funcionamento na próxima semana. Foto: Reprodução/Secom

    Entre as novidades anunciadas, estão a reabertura da unidade do Jardim Gisela e o novo valor da refeição

    Os restaurantes populares devem retornar as atividades em Toledo na próxima semana. Com a conclusão da reforma da Cozinha Social, a produção de refeições já está sendo retomada. A reforma permaneceu parada depois que a empresa vencedora da licitação abandonou as obras. Depois que a Emdur (Empresa Urbana de Desenvolvimento Urbano e Rural) assumiu os trabalhos, a reforma foi concluída e a prefeitura finalmente anunciou o que a população aguardava há quase dois anos.

    A informação foi divulgada nesta quarta-feira (21), depois de iniciado um treinamento para preparar os servidores municipais e trabalhadores terceirizados lotados na Cozinha Social. O treinamento, realizado no Centro Cultural Ondy Hélio Niederauer, envolve aproximadamente 100 colaboradores e aborda temas como segurança no trabalho e os protocolos sanitários vigentes.

    Novo valor

    O retorno dos restaurantes populares acontecerá de forma gradativa e acontece a partir da próxima próxima terça-feira (27). Nesta primeira etapa reabrem as unidades do Jardim Europa, do bairro São Francisco, da vila Boa Esperança e do Jardim Coopagro. “Após, teremos a retomada dos trabalhos no Jardim Panorama II e na Vila Paulista, e, por último, no Jardim Gisela”, explica o diretor da Cozinha Social, Luiz Bazei.

    Além da reabertura da unidade do Jardim Gisela, que havia sido fechada em 2017, outra novidade será o valor cobrado por refeição, que será único: R$ 4,00. Desde a inauguração do primeiro restaurante popular em Toledo, localizado no Jardim Coopagro, as refeições sempre custaram um valor único, mas no último período de funcionamento das unidades, que antecedeu a pandemia, estavam sendo cobrados valores diferenciados que variavam de R$ 2,00 a R$ 8,00 dependendo da faixa em que se enquadravam os usuários.

    De acordo com Luiz Bazei, “o valor único visa oferecer igualdade de acesso para todas as pessoas”. Além dos restaurantes, a alimentação produzida na Cozinha Social atende a merenda escolar, os programas sociais e os eventos que necessitam de suporte alimentar, como lanches e demais situações – tudo produzido com a supervisão de cinco nutricionistas. 

    O retorno dos restaurantes populares, de acordo com o vice-prefeito Ademar Dorfschmidt, representa saúde para a população. Os alimentos fornecidos oferecem uma alimentação balanceada e com valor acessível. “Recebemos muitas ligações, muitos questionamentos, porque as pessoas não sabem todo o processo que envolveu a reforma da Cozinha Social. Foi um trâmite demorado, a empresa contratada não deu continuidade à obra. Precisamos retomar com a Emdur e finalmente conseguimos concluir as intervenções e oferecer de novo para a população refeições saudáveis preparadas com zelo e saudável”, relata.

    Já o prefeito Beto Lunitti destacou a importância do momento. Conforme o gestor municipal, a retomada das atividades da Cozinha Social, além de oferecer uma alimentação saudável, fortalece diversos setores, em especial a agricultura familiar, que fornece parte da matéria-prima. “É algo que vai além de simplesmente servir um prato de comida, é a economia girando, são as famílias dos pequenos produtores fornecendo seus produtos, são vocês manipulando com carinho esses alimentos, os motoristas distribuindo as refeições. É a economia a favor da vida”, comenta. O evento contou também com a presença do secretário de Administração, Mauri Refatti. 

    Os restaurantes populares também seguirão as medidas restritivas em relação à Covid-19 previstas no Decreto nº 184/2021.

    Mauri Refatti, Ademar Dorfschmidit, Luiz Bazei e Beto Lunitti na abertura do treinamento oferecido aos colaboradores da Cozinha Social. Foto: Ricardo Morante/Secom

    Chamamento de fornecedores

    O diretor da Cozinha Social, Luiz Bazei, reforça a necessidade de os produtores rurais interessados em fazer o cadastro para o fornecimento de matéria-prima para a produção de alimentos. Divididos em sete grupos – carnes, laticínios, legumes, massas, panificados, tubérculos e raízes, e verduras e temperos – o Chamamento Público para Credenciamento nº 003/2021 prossegue até 9 de agosto e deve ser realizado na própria sede do órgão (Avenida Maripá, 7001) em horário comercial (de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h).

    Da Redação, com informações da Secretaria Municipal de Comunicação

    Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
    Facebook
    Twitter
    Youtube
    Instagram