Promotoria exige a RENÚNCIA do vice-prefeito Ademar Dorfschmidt sob pena de forçosa adoção

    Conforme Ofício nº 237/2021 – GAB– 4PJ, de 30 de abril de 2021, da 4ª Promotoria de Justiça da Comarca de Toledo:

    “Vossa Excelência que INFORME a esta Promotoria de Justiça, através do e-mail toledo.4prom@mppr.mp.br, se pretende pedir à Câmara Municipal de Toledo a sua renúncia ao cargo de Vice-Prefeito Municipal, para assumir as funções de Secretário Executivo do CISCOPAR, ou se o mencionado consórcio revisará a decisão de sua nomeação para tal cargo na entidade. Sob pena de forçosa adoção de outras providências por parte do Ministério Público.”

    Veja a integra do Ofício no documento abaixo:

    Promotoria exige a RENÚNCIA do vice-prefeito Ademar Dorfschmidt sob pena de forçosa adoção I

    Bom, acho que depois de ler isso o caro leitor deve estar se perguntando: não pode o vice-prefeito trabalhar em prol da sociedade???? Pois na história recente de Toledo, teve vice-prefeito brigando pra ficar em casa.

    Mas na atual situação em que Toledo se encontra, nada mais me surpreende. Não bastasse não eleição de deputado estadual, a triste perda do deputado federal, agora o pouco de representatividade que SOBROU para Toledo nos é cerceado por ofício.

    A perda dessas representatividades políticas, administrativa e de gestão, de Toledo, vem sendo muito prejudicada nos últimos anos devido às inúmeras interferências, nem sempre cabíveis. 

    Basta que você, caro leitor, faça uma busca em seu HDM pelas mais recentes notícias onde o próprio MP retirou algumas acusações e perdeu em outra. Lembra-se do caso das “ordens de serviços”? Onde as mesmas não configuraram como sendo “inaugurações”?

    Promotoria exige a RENÚNCIA do vice-prefeito Ademar Dorfschmidt sob pena de forçosa adoção II

    Explico: Ademar Dorsfchmidt foi eleito no último dia 30 de abril como novo gestor do Ciscopar de Toledo. Ele já tinha afirmado que pelo seu grande conhecimento da saúde pública, já provado, poderia colaborar de forma técnica e de gestão sem salário mensal. Vale lembrar que o vice-prefeito Ademar Dorfschmidt não acumularia vencimentos, e sim faria uma opção por um dos salários e economizaria para os cofres públicos R$ 156 mil ao ano.

    Mas me parece que o princípio da economicidade não foi relevante aos olhos do MP com essa determinação. Isso seria acumulação indevida e prejuízo ao erário público?  Sem sombra de dúvida, creio que isso se trata de um “mecanismo” para que apenas uma engrenagem, aquela da 4ª marcha, funcione.

    Claro que o povo de Toledo não vai mais tolerar esse tipo de comportamento do Sr. Willy Wonka e sua “primeira-drama”, a tia das bolachas, transformando uma instituição séria e respeitada em uma “Fábrica de Chocolates”.

    Não sou contra as ações do MP, principalmente quando se trata do zelo do erário público, mas, com esse “mecanismo” incrustrado, deixa muitas dúvidas, e creio que esse assunto não deva ficar só por esse ambiente oestino. Ou será que o AI-5 está implantado em Toledo?

    Resposta ao MP

    Como foi exigido resposta em forma de urgência com prazo limitado até às 17h do mesmo dia do comunicado, o vice-prefeito Ademar Dorfschmidt assim se manifestou:

    Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
    Facebook
    Twitter
    Youtube
    Instagram