Dilceu Sperafico*

            A vida moderna exige cada vez mais das pessoas que desejam sobreviver com dignidade, mesmo na terceira idade. No primeiro semestre deste ano, por exemplo, dezenas de pessoas experientes participaram de lançamento do Projeto Empreendedor Sênior, no Instituto Genesis, da Pontifícia Universidade Católica (PUC), do Rio de Janeiro.

Elaborado em parceria com diversas entidades, o projeto tem a finalidade de aproveitar a experiência e capacidade do capital intelectual de profissionais que já ultrapassaram os 50 anos de idade.

O projeto vem sendo comandado pelo Centro de Empreendedorismo Universitário (CEU), que busca patrocinadores para viabilizar o empreendimento, que tem a ousadia de pretender se expandir para o País inteiro, a partir dos resultados alcançados no Rio de Janeiro.

Conforme seus idealizadores, o Projeto Empreendedor Sênior está dividido em duas categorias, que são as do empreendedor sênior estagiário e outra de consultor em determinada atividade.

Dessa forma, o grupo de estagiários tem contrato com base na Lei do Estágio, com dedicação de no mínimo 10 horas semanais e bolsa de estudos ou ajuda de cerca de 450 reais mensais.

Para participar do estágio, os interessados têm de apreciar o ambiente de pesquisa acadêmica e gostar de ler e estudar. Por ser modesta, a bolsa não resolve a situação de pessoas em maiores dificuldades financeiras, mas pode ser o primeiro passo para a obtenção de renda maior em seguida.

A metodologia do estágio no projeto é do Programa PICT Sênior da PUC/RJ. Já no caso de empreendedor sênior consultor, as vagas se destinam a pessoas experientes e identificadas com ambiente corporativo e que necessitam obter melhor renumeração.

Neste caso, sua tarefa é oferecer consultoria em sua área de expertise ou especialização e o contrato prevê rendimento de 120 reais por hora de atividade.

Conforme os coordenadores do projeto, as pessoas interessadas podem se inscrever em ambas as alternativas, em site da iniciativa, desde que tenham mais de 40 anos de idade e busquem a reinserção no mercado de trabalho.

A administração do banco de talentos e a seleção de candidatos são de responsabilidade de empresa especializada, com mais de 20 anos de atuação em recursos humanos.

Para entender como funciona o processo basta imaginar um novo empreendimento empresarial necessitando de orientação de profissional com experiência em determinadas atividades, como o setor financeiro.

Para atender essas demandas, o Empreendedor Sênior dispõe de banco de dados, incluindo currículos de estagiários, para facilitar a identificação do profissional com perfil solicitado pelas novas empresas.

No início do projeto, a iniciativa bancará o pagamento do profissional selecionado, utilizando recursos de patrocinadores da iniciativa.

O Instituto Gênesis em 2018 ficou em primeiro lugar no ranking brasileiro de melhores incubadoras de empresas vinculadas a universidades.

Tudo graças à sua metodologia de trabalho, rede de contatos e processos seletivos para criação de banco de talentos.

As virtudes do aproveitamento do capital intelectual da geração sênior são muitas, começando pelo combate ao preconceito contra os trabalhadores mais velhos e prosseguindo com o resgate de autoestima de idosos e promoção do convívio entre diferentes gerações.

            *O autor é ex-deputado federal pelo Paraná e ex-chefe da Casa Civil do Governo do Estado

E-mail: dilceu.joao@uol.com.br