Trabalho realizado em nascente em Paranavaí (Foto: Faep)

Iniciativa foi criada pelo Instituto Iapar-Emater, em parceria com a Sanepar, prefeituras e sindicatos rurais

O produtor rural é quem mais preserva o meio ambiente. Essa vocação vai além da manutenção das reservas legais e áreas de proteção permanente ou da adoção de práticas sustentáveis de manejo na agricultura e na pecuária. Preservar é cuidar também da água, seja por meio da preservação da mata ciliar ou pela manutenção das nascentes.

Para ajudar os produtores paranaenses a cuidarem da água que brota dentro das propriedades rurais, em 2018, o governo do Estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-PR), em parceria com a Sanepar, prefeituras municipais e sindicatos rurais, criou o Projeto Água Limpa, que vem recuperando e protegendo as minas d’água em diversas regiões do Paraná.

Segundo o extensionista rural Ricardo Augusto da Silva, do IDR-PR, é possível proteger as nascentes do assoreamento e de possíveis contaminações utilizando uma técnica simples. “Essa tecnologia solo-cimento é utilizada há mais de 30 anos pela Emater. Às vezes o produtor tem muita boa vontade para proteger a nascente, mas não tem orientação técnica”, afirma.

Até maio deste ano, haviam sido recuperadas 2.561 nascentes em todas as regiões do Paraná. Segundo Silva, normalmente a parceria ocorre da seguinte maneira: o sindicato rural indica a demanda, o município doa as pedras, os produtores entram com parte do material e o IDR executa o trabalho. Quando solicitada, a Sanepar faz coletas no local para realização de análises para verificar a qualidade da água.

No ano passado, em Astorga, município na região Norte, o projeto Água Limpa executou diversas obras de recuperação de nascentes. Na ocasião, o produtor rural Maurício Ferreira Lorusso participou das ações. Com duas nascentes na propriedade, Lorusso construiu uma represa em uma delas, onde hoje cria tilápias. A outra foi recuperada pelo extensionista do IDR-PR. “Antes desse serviço, a nascente era descoberta, então caiam galhos, animais dentro. Agora está protegida com pedra e cimento. O trabalho ficou muito bom”, avalia o produtor.

No seu caso, o benefício vai além da preservação do meio ambiente. A água, além de ser utilizada na piscicultura, é direcionada por meio de uma bomba para matar a sede de bovinos e suínos da propriedade, resultando também em economia financeira.

Situação semelhante tem o avicultor Eduardo Fiorentini, também de Astorga, que recebeu a equipe do projeto no ano passado. Com cinco nascentes em sua propriedade, Fiorentini utiliza três delas para abastecer dois aviários que, juntos, alojam 77 mil aves. “Toda água que eles consomem vem das nascentes”, explica.

Serviço

Se o produtor se interessar pelo projeto e tiver na propriedade alguma nascente que deseja recuperar e/ou proteger, pode contatar o IDR-Paraná pelo telefone (44) 3247- 2198 ou pelo e-mail ricardoaugusto@idr.pr.gov.br. Mais informações também podem ser obtidas junto ao sindicato rural do seu município.

Fonte: Sistema Faep