Nico, um Basset Hound, de 5 anos, participa da cãoterapia com crianças no Huop. Foto: Divulgação

As crianças internadas na pediatria do Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop) receberam uma visita mais que especial, do Nico, Basset Hound, de 5 anos, veio cheio de energia para passar a tarde divertindo os pacientes. A visita foi surpresa e contagiou sorrisos das crianças, assim como das mães e da equipe da unidade. “Eu achei muito legal, porque as crianças sempre gostam de cachorro. O Júlio é o caçula da casa e pede muito para adotarmos um cachorro, então ele pode se divertir bastante nesse dia aqui”, diz a mãe do Júlio Natanael Alves de Oliveira, Franciele Regina de Oliveira.

A visita do cachorro faz parte do projeto “Cãoterapia” e essa é segunda vez que o Huop realiza um projeto de humanização com foco no tratamento com a visita de animais. O objetivo é melhorar os aspectos sociais, físicos e cognitivos dos pacientes internados. “Há muitos estudos científicos que apontam que essa interação com os animais ajuda na recuperação dos pacientes, e pensando na humanização do atendimento no hospital, acreditamos que essa visita além de arrancar sorriso das crianças ajuda nesse tratamento, para que elas possam se recuperar e ir para casa o quanto antes”, avalia o diretor geral do Huop, Rafael Muniz de Olivieira.

Essa é a segunda visita do Nico ao Huop. Ele foi escolhido para o projeto tendo em vista a avaliação dos critérios, sendo um deles o comportamento. “Precisa ser um cachorro dócil, e sempre acompanhado do tutor para evitar qualquer tipo de acidente no ambiente hospitalar”, explica a médica veterinária e tutora do Nico, Bruna Zuffo.

Além da avaliação do comportamento, o cachorro também deve estar com as vacinas e saúde em dia para fazer a visita no hospital. O protocolo atende as recomendações da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) para a segurança do paciente.

Além disso, no dia da visita também é um dia especial para o cachorro, pois o momento da beleza é essencial, Nico veio enfeitado de príncipe depois de uma manhã no pet shop. “Ele é um cachorro muito tranquilo e gosta muito de crianças, então é sempre bom participar dessas atividades. É a segunda vez que viemos no hospital, e pretendemos vir mais vezes alegrar as crianças internadas nessas datas comemorativas, é muito gratificante proporcionar esses momentos”, ressalta Bruna.

Fonte: Beatriz Baron/Assessoria de Comunicação da Unioeste