Segurança, praticidade e menos tempo de deslocamento. Essas foram as impressões dos usuários que estreiaram nesta terça-feira (30) a mais nova linha de ônibus metropolitano da Região de Curitiba. Convênio assinado entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Curitiba possibilitou a integração entre os terminais de Pinhais e Centenário, na Capital. Com isso, a linha Jardim Iraí foi ampliada e passou a se chamar Pinhais/Centenário.

Antes os usuários que pretendiam fazer este trajeto precisavam parar no terminal do Capão da Imbuia e trocar de ônibus antes de desembarcar no bairro Centenário. Com a linha direta, segundo estimativas da Comec (Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba), o tempo de deslocamento caiu de 35 para 20 minutos. Ou seja, meia hora no trajeto de ida e volta.

“Nada mais justo do que o Governo colaborar para essa modernização. Temos que minimizar o impacto diário que o trabalhador tem para se locomover dentro das cidades”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “Buscamos o equilíbrio para levar mais conforto para a população que usa o transporte público”, acrescentou.

A estimativa, de acordo com o diretor de Transporte da Comec, Willian Correa, é que em torno de mil pessoas sejam beneficiadas diariamente com a nova possibilidade de deslocamento entre Pinhais e Curitiba.

Segundo o presidente da Comec, Gilson Santos, essa linha era uma demanda reprimida de muito tempo da população da região. “Há uma economia no tempo muito expressiva, além, é claro, de um melhor atendimento para o usuário”, disse. “A determinação do governador Ratinho Junior é para termos um olhar atento para as pessoas”, afirmou.

USUÁRIOS – A atendente Claudinéia Domingues da Silva, 28 anos, gostou da experiência. Ela trabalha em Pinhais, próximo ao terminal, e ganhou 15 minutos em cada trecho do trajeto casa/trabalho. “Facilitou muito, principalmente porque ficou mais rápido”, disse. “Não preciso trocar de ônibus e ainda evito parar no terminal do Capão da Imbuia, que está sempre muito cheio”, afirmou a babá Jaqueline Fernandes Ferreira, 44 anos, antes de embarcar para a Capital.

Auxiliar de produção, Bruno de Castro, 22 anos, comemorava o tempo a mais que irá ganhar ao eliminar um dos quatro ônibus que tinha de pegar para chegar até a empresa, no Boqueirão, em Curitiba. “Nunca entendi como não tinha uma linha direta para o Centenário. Demorava 1h30 para percorrer 13 quilômetros. Agora facilitou muito”, ressaltou.

VILA TUPY – Também nesta semana ocorreu a implantação da linha Tupy/Juliana, alimentadora que ligará a Vila Tupy, no município de Araucária, até o terminal Pinheirinho, em Curitiba. O atendimento ao bairro havia sido descontinuado em 2017 pelo município, afetando os cerca de 25 mil moradores. A retomada da linha foi, inclusive, compromisso de campanha do governador Ratinho Junior.

Com ela, os usuários que desejarem ir até Curitiba não precisarão mais se dirigir até o centro de Araucária para fazer a integração. A linha começou a operar na segunda-feira (29).

INVESTIMENTO – As linhas Pinhais/Centenário e Tupy/Juliana fazem parte de um grande pacote de investimento para o transporte público anunciado em fevereiro pelo governador. São R$ 150 milhões em subsídio e obras para Curitiba e Região Metropolitana – R$ 40 milhões na Capital e R$ 110 milhões nas demais cidades.

Os R$ 150 milhões do Governo do Paraná garantirão tarifa social de R$ 4,50 para Capital e linhas integradas das cidades vizinhas, e valores menores no transporte metropolitano, dividido em três anéis.

Para a RMC, a Comec estabeleceu reajuste médio de 3,7% nas tarifas do transporte metropolitano, abaixo da inflação dos últimos 12 meses (6,7%, pelo IPCA). O primeiro anel, formado pelas cidades vizinhas à Capital (Almirante Tamandaré, Araucária, Campo Largo, Campo Magro, Colombo, Fazenda Rio Grande, Pinhais e São José dos Pinhais), terá tarifa de R$ 4,50.

No segundo (Balsa Nova, Campina Grande do Sul, Itaperuçu, Piraquara, Quatro Barras e Rio Branco do Sul), as passagens variam de R$ 4,50 a R$ 4,75. No terceiro, que engloba cidades mais distantes de Curitiba, houve congelamento de preço entre R$ 4,90 e R$ 6,50. “Acima de tudo o Estado permite que a tarifa fique acessível aos usuários”, destacou o governador.

Confira a tabela de horários.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná