Cestas básicas. Foto: Reprodução

Pesquisa realizada pelo Núcleo de Desenvolvimento Regional (NDR), do campus de Toledo da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), aponta queda de 5,2% no valor da cesta básica praticado no município de Toledo para o mês de maio. Entre janeiro e maio o valor da cesta básica acumula alta de 9,95%, o que os pesquisadores do NDR avaliam como aumento expressivo.

De acordo com a pesquisa, o valor da cesta individual em maio foi de R$ 609,37 contra R$ 642,80 em abril. O custo da cesta básica familiar também apresentou uma redução de -5,20%, passando de R$1.928,40 em abril de 2022 para R$ 1.828,11 em maio de 2022. Um trabalhador que ganha um salário-mínimo não teria condições de adquirir a cesta básica familiar, uma vez que o valor de R$1.828,11 ultrapassa o valor do salário-mínimo vigente em 63,06%, não conseguindo arcar com as demais despesas domiciliares mensais.

Os produtos que apresentaram aumento no preço médio no período analisado foram: a margarina (4,55%); o óleo de soja (4,28%); o leite (1,68%); a farinha de trigo (0,80%); o pão francês (0,72%); o açúcar (0,54%); e a carne (0,22%). Por sua vez, os produtos que apresentaram redução no preço médio no período foram: o tomate (-30%); o feijão (-11,13%); a banana, (-5,65%); a batata (-1,12%); o café (-0,91%); e o arroz (- 0,60%).

De acordo com a pesquisa, o valor do salário-mínimo necessário para adquirir a cesta básica e suprir as despesas domiciliares mensais referentes à habitação, ao vestuário, ao transporte, entre outras, em maio deveria ser de R$5.119,33. Ao comparar o salário-mínimo necessário de Toledo e a média nacional para o mês de maio, observa-se que o valor nacional seria 27,66% maior que o de Toledo. Deve-se levar em consideração que o salário-mínimo necessário de Toledo corresponde a 4,65 vezes o piso nacional vigente, que é de R$1.212,00.

No mês de maio, o custo da cesta básica de Toledo foi maior que o de Recife, Pato Branco, Francisco Beltrão e Dois Vizinhos, sendo, portanto, mais barata que as demais cidades listadas. Observou-se que o custo da cesta básica de Cascavel (R$628,87) foi 3,20% maior que o custo da cesta de Toledo (R$609,37). Analisa-se também que os municípios do Oeste e Sudoeste do Paraná apresentaram redução no custo da cesta básica. Além disso, ao comparar o custo da cesta básica de Toledo com o de São Paulo, que apresenta a cesta básica com maior custo em maio (R$777,93), verifica-se que a cesta de São Paulo tem um custo 27,66% maior que a de Toledo.

Os resultados apresentados na pesquisa mostram os produtos que apresentaram maior aumento de preços nos últimos 12 meses, que foram: a batata, que acumulou um aumento de 224,54%; o tomate, com 98,99% de aumento; o café, que aumentou 97,38%; e a banana, com incremento de 41,60%. Verifica-se que apenas 2 produtos apresentaram uma variação acumulada negativa, que seriam o arroz, que reduziu -10,24%, e o feijão que diminuiu – 8,58% nos últimos 12 meses.

A pesquisa aponta que a variação acumulada desde janeiro de 2022 a batata apresentou aumento de 63,83%,  e que o leite possui o segundo maior aumento acumulado, de 35,32%. Em seguida aparece o óleo de soja, com 18,90%; e o pão francês, com 18,69% de aumento acumulado. Nos 5 primeiros meses de 2022, o açúcar apresentou variação acumulada negativa, com redução no preço de 12,88%.

De acordo com a coordenadora do NDR, Crislaine Colla, é preciso ressaltar que, apesar da redução no custo da cesta básica no mês de maio, o acumulado nos últimos 12 meses se mostra significativo, pois a cesta básica de Toledo teve aumento de 24,40%. Apenas em 2022, a cesta básica de Toledo apresentou aumento de 9,95%. Estas variações retratam uma perda significativa do poder de compra do consumidor.

A pesquisa completa está disponível pelo link https://www.unioeste.br/portal/nucleos-toledo/ndr/510-campus-toledo/nucleos/ndr/57548-pesquisa-da-cesta-basica-de-alimentos-toledo-pr

O NDR é composto pelo curso de Ciências Econômicas e pelos programas de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional e Agronegócio (PDRA) e Pós-graduação em Economia (PGE) da Unioeste campus de Toledo.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Unioeste