Gimores Alimentos, de Cascavel, é uma empresa familiar que, a cada ano, conquista mais espaço no mercado. (Crédito: Ana Paula Silva)

Chancela reconhece itens como gestão empresarial, segurança e qualidade alimentar dos produtos paranaenses

Após consultorias, treinamentos e capacitações, pequenas empresas da região oeste conquistaram o Selo Alimentos do Paraná. A chancela reconhece a eficiência na gestão, segurança e qualidade alimentar de produtos de agroindústrias, indústrias e empreendimentos que beneficiam alimentos e bebidas de pequeno porte. Dessa forma, segundo o consultor do Sebrae/PR, Emerson Durso, o Selo é um reconhecimento importante tanto para as empresas quanto para os consumidores.

“As empresas passam por auditorias e realizam diversos treinamentos e adequações para receberem a chancela. Dessa forma, além de atestar que é um produto paranaense, o Selo Alimentos do Paraná também garante a procedência e a qualidade dos produtos que estão sendo consumidos”, explica Durso.

Há dois anos, a Gimores Alimentos, de Cascavel, figura entre as chanceladas. Para tal reconhecimento, no entanto, a sócia-proprietária, Ana Paula Silva, ressalta que muitos investimentos foram feitos. Afinal, a empresa começou na casa da família e era preciso profissionalizar os processos para que os produtos ganhassem espaço no mercado.

“Era tudo muito informal. Quando entramos no Programa Selo Alimentos do Paraná, fomos alertados sobre a necessidade de modificar todos esses processos internos e pudemos compreender que a gestão interfere na qualidade dos produtos. Dessa forma, formalizamos as rotinas e temos mais controle sobre o que acontece dentro da empresa”, relata Ana Paula.

Com as adequações feitas para a conquista do Selo Alimentos do Paraná, a empresa também pode conquistar o Selo do SISBI-POA (Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal). Hoje, portanto, a Gimores tem pontos de revenda nos seguintes estados: Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

“Somos muito gratos às equipes do Sebrae que nos informaram durante esse período. O Selo abriu portas para expandirmos o mercado e estamos empolgados com as possibilidades de crescimento”, enfatiza a empresária.

Em Marechal Cândido Rondon, a ProSaúde também é destaque. Há vinte anos no mercado, a empresa familiar é especializada em produtos de alimentação integral e funcional. Hoje, possui amplo catálogo de produtos e o Selo é mais um reconhecimento significativo.

“Nosso propósito não é só vender produtos naturais, nós queremos ser especialistas em saúde e qualidade de vida por meio da alimentação. Com o apoio do Sebrae, fizemos todas as adequações necessárias e não medimos esforços para atender aos requisitos do Programa. O resultado veio: é o primeiro ano que recebemos o Selo, que valida a nossa dedicação. Agora, queremos continuar nesse ritmo”, declara a sócia-proprietária da ProSaúde, Edina Sandra Klein.

Parte da equipe da ProSaúde, de Marechal Cândido Rondon. Com mudanças aplicadas para a obtenção do Selo, empresa conseguiu melhorar processos e fluxos internos. (Crédito: acervo pessoal) 

Selo Alimentos do Paraná

Na região oeste, as empresas são chanceladas são: Adipro, Tia Mari Massas, Nutrifort, de Toledo; Oficina do Sorvete, de Foz do Iguaçu; Pães Casa Bella, de Medianeira; Panificadora Vila Cancelli, Pasa Espetinhos Artesanais, Terra Mate, Seleção Monjoleiro e Gimores Alimentos, de Cascavel; Império das Massas, ProSaúde e Pegue Mais, de Marechal Cândido Rondon; Frigorosa, de Nova Santa Rosa; Linguiças Passarin, de Laranjeiras do Sul; Samollé, de Quatro Pontes; Super 500, de Guaraniaçu; Temperbom, de Santa Tereza do Oeste; Coofamel, de Santa Helena. 

O  Programa do Selo Alimentos do Paraná é uma realização do Sebrae/PR em parceria com a Fecomércio PR, Fiep, Associação Paranaense de Supermercados (Apras) e Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel). No cronograma, as empresas interessadas em obter o Selo participam de atividades como capacitações, treinamentos e consultorias, num período que pode durar entre 5 e 10 meses. Depois, ocorre a fase de avaliações junto ao Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), que analisa questões como qualidade dos processos, gestão empresarial, análises laboratoriais dos produtos e auditorias. Os empreendimentos que receberem as melhores pontuações são premiados com o Selo. A metodologia segue as normas sanitárias vigentes e o MEG – Modelo de Excelência da Gestão, da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).

Fonte: Assessoria de Imprensa do Sebrae