Estrutura vai ficar ao lado da também nova Unidade Básica do município, centralizando os atendimentos em saúde - Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Com investimento de R$ 418 mil da Secretaria de Estado da Saúde, município de Pato Bragado faz os últimos ajustes para inaugurar novo pronto atendimento

Pato Bragado, no Oeste do Paraná, é aquele típico município pequeno e acolhedor. A população, de cerca de seis mil habitantes, leva uma vida tranquila na cidade que faz fronteira com o Paraguai. Para garantir que esta vida também seja com saúde, o município está finalizando um novo e moderno posto de pronto atendimento (PA), com investimento de R$ 609.417,69. As obras foram autorizadas em maio de 2018, e agora restam apenas adequações na rede elétrica e instalação de equipamentos para iniciar o funcionamento.

O PA fica no centro do município, próximo à estrutura que atualmente abriga os serviços de saúde, e anexa a uma nova Unidade Básica. Também fica imediatamente ao lado da casa de Hermida Boroski, de 67 anos, que é viúva e aposentada. Para ela, aproximidade e a infraestrutura qualificada garantem tranquilidade no caso de uma necessidade de saúde. “Sempre sou bem atendida pelos profissionais, e agora que vai estar mais pertinho fica bem melhor. Se precisar de qualquer coisa é só ir aqui do lado”, disse.

Os investimentos em saúde são prioridade da gestão estadual. Segundo o governador Carlos Massa Ratinho Junior, o pronto atendimento próximo à unidade básica de saúde de Pato Bragado ajuda a formar um complexo de atendimento médico. “Nós queremos facilitar este primeiro atendimento em saúde, que muitas vezes é o grande gargalo para as secretarias municipais, e garantir que a população tenha um atendimento rápido e de qualidade”, afirmou o governador.

Do montante total investido no PA, R$ 418.783,78 são de repasses estaduais, e R$ 190.633,91 de contrapartida municipal. A secretária da Saúde de Pato Bragado, Neusa Inês Schirmann, salientou que esta é uma grande conquista para a população. “Com o novo Pronto Atendimento, ao lado da nova Unidade Básica, vamos ofertar à população um espaço seguro e confortável para quem precisa cuidar da saúde”, disse a secretária. “A estrutura é bem dividida, e ter um local qualificado também facilita o trabalho dos profissionais que vão atuar aqui”, lembrou Neusa.

A estrutura tem cerca de 460 m², e é dividida em recepção, salas de espera, de urgência, de enfermagem e de exames diferenciados. Também conta com locais para suturas e curativos, aplicação de medicamentos, salas de observação masculina, feminina e infantil.

Proprietário de uma funilaria nas proximidades do Pronto Atendimento, Cassiano Porto, de 36 anos, afirmou que a nova estrutura representa um salto na qualidade do atendimento de saúde em Pato Bragado. “Vai melhorar consideravelmente, é uma unidade de saúde maior que a antiga, e tem o pronto atendimento. Todos estão aguardando o começo dos atendimentos, vai melhorar muito para os moradores da cidade”, celebrou o empresário. “Quanto antes inaugurarem, melhor”.

A Unidade Básica de Saúde, ao lado do Pronto Atendimento, foi construída por meio de convênio com o Governo Federal e já começou a receber o mobiliário para iniciar os atendimentos também em breve. Nela será realizada a estratégia de Saúde da Família.  Juntas, as duas estruturas somam 850 m².

A obra do PA em Pato Bragado está em fase de conclusão, com a adequação da entrada de energia e reforço da rede pública. Esta intervenção está sendo realizada pela necessidade de unificar as duas entradas (do PA e da UBS), e pela demanda de 10 torneiras elétricas não previstas no projeto elétrico inicial. 

O engenheiro da prefeitura Johnny Marcos Wutzke, responsável pela obra, explicou que além desta adequação elétrica, outras alterações necessárias para atingir o objeto foram necessárias. “Todas as intervenções estão em análise na Secretaria de Estado da Saúde e, assim que forem realizadas, os engenheiros do Estado também poderão atestar a entrega da obra”, afirmou o engenheiro.

A mudança para o novo espaço também depende da pandemia do novo coronavírus. Isso porque as instalações atuais foram adequadas para o atendimento da Covid-19. Sendo assim, a migração dos serviços de saúde para o novo complexo acontecerá apenas quando for seguro.

Fonte: Agência Estadual de Notícias