Escola Classe 06 do Cruzeiro Novo (DF) durante processo de limpeza e higienização e desinfecção, antes da volata as aulas. Sérgio Lima/Poder360 30.07.2020

Levantamento do PoderData – 78% das mulheres são contra – -Pesquisa feita de 3 a 5 de agosto

Pesquisa PoderData mostra que 76% dos brasileiros desaprovam a volta às aulas presenciais neste momento. Só 19% acham que é hora de reabrir as escolas. Outros 5% não souberam responder.

A pesquisa foi realizada de 3 a 5 de agosto de 2020 pelo PoderDatadivisão de estudos estatísticos do Poder360, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 560 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

De acordo com o levantamento, as mulheres são as que mais discordam da volta às aulas: 78% dizem que não é a hora. A proporção cai para 74% entre os homens.

As pessoas com 60 anos ou mais foram as que mais disseram que ainda é cedo para retomar as aulas: 85%. Jovens de 16 a 24 anos se mostraram menos receosos com o retorno: 58% responderam que não é o momento.

No grupo de entrevistados que cursaram até o ensino fundamental, 70% acham que é cedo para voltar às aulas presenciais. Entre aqueles que têm o ensino médio completo, o percentual sobe para 81%.

Oito em cada 10 entrevistados do Nordeste (84%) acham que é cedo para voltar às aulas. A região Norte tem a menor proporção: 65%.

Não houve grande variações nas respostas do ponto de vista da renda dos entrevistados. Os percentuais vão de 73% entre os que ganham mais de 10 salários mínimos a 78% no público que recebe de 2 a 5 salários mínimos.

APOIO AO PRESIDENTE JAIR BOLSONARO

Os percentuais variam de acordo com o nível de satisfação do entrevistado com o trabalho do presidente Jair Bolsonaro. O maior grupo de pessoas que apoiam a retomada das aulas presenciais está entre aqueles que avaliam o mandatário como “ótimo” ou “bom”. Já entre quem classifica o trabalho de Bolsonaro como “ruim” ou “péssimo”, só 7% são favoráveis à volta às salas de aula.

Cedito a PODER 360