Foto: Silmar Ramos

Programa atende a quase 30 acadêmicos, mas apenas 12 participam atendendo às restrições impostas pela pandemia do coronavírus

As atividades esportivas da Secretaria de Esportes e Lazer de Toledo estão sem previsão de retorno em razão da pandemia do novo coronavírus. Mas, quando forem retomadas, a certeza é que os acadêmicos beneficiados pelo Programa Atleta na Universidade, da Prefeitura de Toledo, já estarão capacitados para auxiliarem outros profissionais da pasta em várias modalidades.

Essa é a ideia das Oficinas realizadas pela Secretaria de Esportes e Lazer, como a de Mini-Vôlei, iniciada nesta quarta-feira, 31, no ginásio Alcides Pan. Os participantes estão absorvendo conteúdos teóricos e práticos, que os credenciarão a trabalhar na modalidade que é uma referência na cidade. Alguns também já participaram de outras oficinas neste ano e tudo acontece com os devidos cuidados e recomendações de saúde para evitar o contágio do coronavírus.

Segundo o professor André Van de Sand, que ministra a oficina com os também técnicos Marcos Assunção e Alice Araldi, nesta primeira etapa, os participantes absorveram a parte teórica e metodologia do mini-vôlei que é aplicado em Toledo através do Projeto Mais Vôlei, bem como seus objetivos e regras.

Na quinta-feira, 01/04, atividades começaram às 8h30, voltadas a parte prática, aonde os participantes aprenderão desde a fundamentação até a formação de equipes. “Eles também simularão uma etapa de competição de mini-vôlei, com a organização e montagem das equipes para os jogos, arbitragem e toda a logística necessária para seu bom andamento. Nós não sabemos quando as atividades serão retomadas no município, mas é importante que esses acadêmicos estejam capacitados e assim possam dar a sua contribuição ao esporte de Toledo”, diz o treinador.

NOVOS HORIZONTES

Atleta que já representou o município em várias competições, Aline Lima (20), é uma das beneficiadas pelo Programa Atleta na Universidade a participar da Oficina de Mini-Vôlei. Para ela, além das horas que são necessárias para cumprir, o mais importante é o conhecimento que se adquire nesse tipo de atividade.

“Eu sempre joguei handebol, mas acho que muitas coisas que aprendemos aqui podem ser levadas para a minha modalidade. Quando comecei a cursar educação física tinha em mente trabalhar com o handebol, mas esse conhecimento abre novos horizontes e podemos mudar também”, disse a atleta ao destacar a importância de sair da zona de conforto – precisamos estar sempre preparados – disse a pivô que cursa o 2º ano de educação física.

O Projeto Mais Vôlei Toledo é desenvolvido pela Prefeitura de Toledo através da Secretaria de Esportes e Lazer de Toledo e pela Associação de Voleibol de Toledo (Avotol), com recursos oriundos da Lei de Incentivo ao Esporte, do Governo Federal. Também é parceira do projeto, a empresa Prati Donaduzzi.

Foto: Silmar Ramos

Fonte: SrCom/Silmar Ramos de Oliveira