Foto: Decom/CMT

A sessão da Câmara de Toledo na segunda-feira, dia 10 de maio, contou com a volta da Tribuna Livre, espaço previsto regimentalmente para explanações por representantes da comunidade. A exposição foi feita pela vice-presidente do Observatório Social do Brasil-Toledo, Ruth Winterkorn, que falou aos vereadores sobre a atuação da organização surgida em Maringá e depois reproduzida pelas entidades empresariais em vários pontos do país.

Criado em 8 de dezembro de 2008 na Associação Comercial e Empresarial de Toledo, a partir da iniciativa nacional dos empresários de Maringá, o Observatório Social toledano teve como primeiro presidente Alceu Dalbosco. A organização hoje está presente em 150 cidades de 17 estados e reúne cerca de 3,5 mil voluntários. Segundo Ruth Winterkorn, a partir de 2018 a organização unificou sua denominação como Observatório Social e em Toledo foi declarada de interesse público no final de 2019, em 17 de dezembro.

A vice-presidente destacou aos vereadores a atuação do Observatório como um espaço para se exercer a cidadania, “não para criar problemas”. Segundo ela, a entidade busca uma maior participação social no controle de gastos públicos e para isso busca atuar preventivamente contra o mau uso de recursos públicos.