Acompanhado de lideranças locais, o Prefeito Lucio de Marchi acompanhou a equipe do Centro Internacional de Energias Renováveis (Cibiogás) numa área da Linha Flórida nesta última quarta-feira (01). Um terreno que era da Coamo está em fase de aquisição pelo município no valor de R$655 mil. O valor da propriedade é estimado em R$900 mil.

No local será implantado a Central de Bioenergia a Biogás. O projeto consiste em um Sistema de Biodigestão composto por biodigestores, grupo motogerador e lagoa de digestão e tratamento.

Os recursos, na ordem de R$ 18 milhões, foram liberados pela Itaipu por meio da Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI) para que a Cibiogás faça a gestão do projeto. O Convênio com o Município foi firmado em 2018, mas devido as trocas na gestão da Itaipu, a liberação de recursos foi suspensa até nova análise da diretoria.

“Com a liberação dos recursos e o aval para darmos sequência ao Convênio, estamos dando continuidade aos trabalhos e hoje [ontem], com a colocação da placa informando a população sobre o local que será instalado a Central de Bioenergia na Linha Flórida”, disse o Secretário de Desenvolvimento Ambiental e Saneamento de Toledo, Neudi Mosconi.

O Prefeito Lucio de Marchi acompanhou a visita dos técnicos e a colocação da placa informativa pela Cibiogás. “Essa é uma atitude inédita. Vai ser a primeira usina desse porte numa região altamente produtiva de suínos. Esse vai ser o embrião para muitas que ainda vão surgir no município”, declarou Lucio.

O Engenheiro Civil da Cibiogás responsável pela implantação da unidade em Toledo, Édipo Barbosa Lopes, informou que a previsão do início das obras é para agosto de 2020 e o início da operação efetiva é para novembro de 2021.

Ele disse ainda que essa Central de Bionergia à Biogás representa “o desenvolvimento sustentável muito grande na região, que vai sanar um problema ambiental que é o dejeto da suinocultura e o resíduo agroindustrial. A instalação desta unidade é muito importante, pois outros municípios poderão adotar como exemplo e replicar em todo o país, já que o problema de contaminação acontece no Brasil todo”, frisou o Engenheiro.

Segundo Mosconi, das três unidades já divulgadas, essa é a primeira delas. “Nós vamos fazer a destoca [retirada dos tocos] e o serviço de terraplanagem para a empresa começar os trabalhos em agosto. O volume é insignificante perto da demanda de dejetos suínos de Toledo, mas é um ponta pé inicial. É uma unidade modular e um convênio bastante longo. Quem fará toda a execução é a Cibiogás. O município continuará sendo proprietário desse imóvel. Faremos um documento de permissão de uso para que a unidade seja implantada. Todo o recurso investido será devolvido à longo prazo com a venda de energia gerada. Isso irá para um fundo que possibilitará o investimento em novas unidades. De forma preliminar, em torno de seis a sete anos é possível a unidade se custear”, explicou.

Capacidade

A Central de Bioenergia irá atender a demanda de afluentes de aproximadamente 30 mil suínos e aproximadamente 40 toneladas da agroindústria diariamente. Isso representa aproximadamente 226 metros cúbicos diários de afluente suíno.

Todo esse resíduo irá gerar em média 11 mil metros cúbicos de biogás por dia. Isso será injetado no grupo motogerador para a geração de energia elétrica. O potencial de geração diária de energia é de 1MW.

Ainda não foram definidas as unidades, mas essa energia será utilizada também pela Prefeitura de Toledo em prédios e equipamentos públicos.

Fonte: Secom/Pref. de Toledo