A operacionalização das indústrias de processamento de soja e refinaria de óleo de soja da Coamo Agroindustrial Cooperativa construídas à margem da BR 163, entre Dourados e Caarapó, no Mato Grosso do Sul estão gerando diretamente 300 empregos e colaborando para o desenvolvimento da região e fortalecimento do agronegócio brasileiro. Em três turnos, as fábricas estão processando 3.000 toneladas/dia de soja, farelo de soja e a refinaria produz 720 toneladas/dia de óleo de soja, equivalente a 15 milhões de sacas. “Para se ter uma ideia deste movimento industrial são 40.000 caixas de óleos por dia, o que equivale a 750 garrafas de pet por minuto ou 12,5 garrafas por segundo. Toda a produção está sendo distribuída para Mato Grosso do Sul, São Paulo e vários estados do país”, afirma o engenheiro Emerson Mansano, gerente Industrial da Coamo em Dourados. Ele informa que foi implantado um Centro Regional de Distribuição de Insumos e uma Central Regional de Transporte para coordenação de toda logística para o abastecimento das indústrias e distribuição dos produtos industrializados.

– “Com todo esse investimento superior a R$ 780 milhões e uma capacidade de armazenagem em cinco silos no total de 105.000 toneladas, mostramos o quanto acreditamos em nosso país que ocupa uma posição de destaque no cenário mundial”,   considera Airton Galinari, presidente Executivo da Coamo Agroindustrial Cooperativa.]

Para o engenheiro agrônomo José Aroldo Gallassini, idealizador e presidente do Conselho de Administração da Coamo, as indústrias em Douradas inauguradas em novembro de 2019 permitem a expansão da presença da Coamo no mercado brasileiro com óleo refinado e a ampliação da  participação dos produtos da cooperativa no mercado europeu com farelo de soja. “O volume de soja recebido pela Coamo no Mato Grosso do Sul foi determinante para a instalação desta moderna indústria esmagadora de soja e de uma refinaria de óleo de soja, justificando a redução de custo com o transporte do produto já industrializado”, explica.

Fonte: Coamo