O Laboratório Central de Saúde Pública de Santa Catarina (LACEN) está realizando exames para identificação do novo coronavírus (COVID-19)

Com capacidade para processar até 10 mil testes moleculares por dia, a Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19 no Ceará começou as atividades nesta segunda-feira (24)

Desde o início da pandemia da Covid-19, o Ministério da Saúde ampliou a capacidade de testagem na rede pública em mais de 800%. A partir desta segunda-feira (24), o país passa a contar com mais uma unidade para diagnóstico da doença. A Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19 da Fiocruz, no estado do Ceará, tem potencial para processar até 10 mil testes moleculares por dia. O Ministério da Saúde vem realizando ações para ampliar a testagem da doença no país, com aumento da capacidade laboratorial para que mais pessoas sejam diagnosticadas precocemente. O diagnóstico precoce favorece a adoção de medidas de isolamento de casos e o monitoramento de contatos, reduzindo novas infecções, casos graves e óbitos.

O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, participou do evento que marcou o início das atividades da unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Localizada no Campus da Fiocruz Ceará, no Distrito de Inovação do Eusébio, a unidade faz parte do esforço do Governo Federal para ampliar a testagem da Covid-19 no país, ação fundamental para a vigilância epidemiológica do vírus e o enfrentamento da pandemia. O Brasil estendeu a testagem para os pacientes com casos leves da doença nos serviços de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

O ministro Eduardo Pazuello afirmou que a pandemia deixará legados ao Brasil. “Serão alguns dolorosos, outros estruturais. Mas, um dos mais importantes será a relação institucional que foi construída entre estados, municípios, governo federal e a iniciativa privada, que resultou em uma resposta efetiva à pandemia”, disse. “O que estamos presenciando hoje no Ceará é a capilaridade do SUS, é o que está sendo feito no combate à pandemia, o que foi construído e entregue como estrutura. Esse legado será reconhecido no futuro como a grande resposta à pandemia no mundo”, ressaltou Pazuello.

De acordo com o ministro interino, a ampliação da testagem dará aos gestores informações para que possam tomar decisões para o combate à doença no país. “A testagem é fundamental para amparar o diagnóstico, e ainda mais importante para a avalição de estratégias do governo. Por isso, precisamos ampliar a testagem e essa logística vem sendo construída a muitas mãos, da iniciativa pública e privada, para que a gente possa entregar ao gestor a melhor condição para traçar estratégia”, ressaltou Pazuello.

O local é equipado com plataformas automatizadas e conta com cerca de 200 profissionais, entre biologistas e técnicos de laboratório capacitados que se revezarão em três turnos de trabalho para processar as amostras que são encaminhadas pelo Ministério da Saúde. A pasta custeará a operação.

O titular do Ministério da Saúde falou ainda sobre os investimentos da pasta para a vacina contra a Covid-19. “O Brasil está fazendo o que há de mais promissor em termos de vacina. O recurso de R$ 2 bilhões, da medida provisória, já está na Fiocruz para a assinatura do contrato de transferência dos recursos e recebimento da tecnologia, equipamentos e insumos para a fabricação da vacina”, explicou. Segundo Pazuello, a melhor opção, até agora, é a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford com a empresa AstraZeneca. “Não apenas pela capacidade de imunização, mas pelo quantitativo possível de insumos para fabricação de 100 milhões de doses iniciais. Existem outras iniciativas das quais estamos acompanhando. Todas vão somar e nos dar a efetividade da capacidade de imunização para nossa população”.

A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, disse que a iniciativa é histórica e marca uma série de realizações. “A Fiocruz completou 120 anos e já tinha uma agenda de realizações em conjunto com o Ministério da Saúde. Esse trabalho tem uma dimensão regional e local e a Fiocruz reafirma aqui o seu compromisso para avançar nas ações de enfrentamento à pandemia”, ressaltou. 

Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19 do Rio de Janeiro

No dia 10 de agosto, foi inaugurada a Unidade de Apoio ao Diagnóstico da Covid-19 localizada na sede da Fiocruz no Rio de Janeiro. O local tem a capacidade de liberar até 15 mil resultados de testes moleculares por dia. Com o início da operação das duas plataformas, o Ministério da Saúde amplia em 25 mil o número de testes moleculares diariamente no SUS. Fonte: Por Catarina Boechat, da Agência Saúde