O Centro de Medicina Tropical é o primeiro de Foz do Iguaçu a descentralizar no Paraná o diagnóstico da doença.
O Laboratório do Centro de Medicina Tropical (CMT) do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela Itaipu Binacional, fez em quatro meses mais de 15 mil exames para detecção do novo coronavírus (o SARS-CoV-2, causador da covid-19).
Esses testes foram aplicados em Foz do Iguaçu e na 9ª Regional de Saúde do Paraná. O Laboratório do HMCC foi o primeiro de Foz do Iguaçu a descentralizar no interior do Estado o exame para covid-19, antes só feito em Curitiba. Até 27 de abril, toda a testagem de casos suspeitos da doença precisava ser enviada para o Laboratório Central do Paraná (Lacen). Os resultados levavam, normalmente, mais de uma semana para saírem. “O diagnóstico rápido e assertivo dos pacientes suspeitos da doença possibilita medidas rápidas de intervenção e controle”, frisou o diretor assistencial do Costa Cavalcanti, Sandro Scarpetta. “Atualmente, o CMT recebe em média 300 amostras por dia. Os resultados ficam prontos entre três e seis horas”, acrescentou o diretor.Do total de 15.118 exames feitos até esta quarta-feira (26), 7.345 deles são de municípios da 9ª Regional (SUS) e outros 7.773 de pacientes de Foz do Iguaçu e região, atendidos no HMCC. A 9ª Regional é composta pelos nove municípios da microrregião de Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná — Itaipulândia, Matelândia, Medianeira, Missal, Ramilândia, São Miguel do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu, Serranópolis e Foz do Iguaçu. De acordo com o informe epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (26), Foz registrou 4.707 casos de coronavírus e 56 óbitos em decorrência da doença, desde o início da pandemia.

Identificação genética
O exame da covid-19 é um teste de biologia molecular que identifica o material genético do vírus. Para a análise, o Centro de Medicina Tropical utiliza amostras de secreções das vias respiratórias (do nariz e garganta) dos casos suspeitos. Esses materiais são coletados com o uso de um tipo hastes de plástico parecidas com cotonetes (swabs) ou aspirados por sonda. Assim que chegam ao laboratório, essas amostras passam por diferentes estágios de preparação e extração do material genético das moléculas (RNA) até a etapa final do processo.

Teleorientação
O isolamento domiciliar de pacientes sintomáticos é a principal medida de redução da transmissão do vírus, além do isolamento das demais pessoas que residem com o paciente. Pensando nisso, o Hospital Ministro Costa Cavalcanti passou a oferecer desde o início da pandemia, o serviço de teleorientação. O objetivo é orientar os usuários do plano de saúde Itamed, os colaboradores da Fundação de Saúde Itaiguapy e beneficiários da Itaipu Binacional, informações sobre como e onde buscar atendimento em casos suspeitos de covid-19. O atendimento funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h. Aos sábados, domingos e feriados, das 8h às 12h e das 14h às 18h. Além das orientações gerais, a teleorientação também repassa informações sobre os resultados dos testes RT-PCR feitos no HMCC, e ainda, oferece suporte psicológico e monitora todos os casos confirmados. Mais de 10 mil atendimentos já foram realizados.

Investimentos
A Itaipu Binacional investiu R$ 24 milhões na Fundação Itaiguapy para a criação de uma ala exclusiva de atendimento de covid-19, com 20 leitos de UTI, sete leitos de semi-intensiva e 20 leitos de unidade de transição, além da aquisição de testes de Reação em Cadeia de Polimerase (PCR), medicamentos e respiradores para atender a demanda da região. A medida atende diretrizes do governo do presidente Jair Bolsonaro.
Texto: Assessorias do HMCC e da Itaipu Binacional. Fotos: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional