Sem dúvidas, as pesquisas eleitorais foram as maiores protagonistas nas eleições municipais 2020, na capital do PIB agropecuário do Paraná, com resultados muito “destoante” entre os “institutos”. Foi um verdadeiro festival de pesquisas impugnadas e suspensas para a divulgação, e das quatro empresas (Vox Data, Véritas, Datamedia e Excelência) que divulgaram os resultados, somente o Instituto Excelência de Toledo teve seus resultados coerentes e dentro das margens, correspondendo ao resultado final das urnas no dia 15 de novembro. Foi justamente a empresa mais questionada pela coligação vitoriosa de Beto Lunitti.

O Instituto G10, contratado por este Jornal, também registrou uma pesquisa, mas por opção, resolvemos não divulgar, pois a intenção era exatamente a de sanar as dúvidas, diante de um cenário duvidoso.

Toledo teve várias pesquisas registradas, mas algumas foram canceladas durante o período eleitoral pelos próprios Institutos. Portanto, vamos fazer aqui uma análise somente das pesquisas registradas que constam no portal do TSE.

No total, Toledo teve 13 pesquisas oficialmente registradas. Duas ainda em período de pré-campanha, pelo Instituto Vox Data, e 11 durante a campanha. Praticamente todas as pesquisas registradas, durante o período de campanha, foram impugnadas pelas diversas coligações que estavam disputando o pleito. Cinco das oficiais foram suspensas para divulgação por apresentarem irregularidades, e sete foram autorizadas para a divulgação.

Registros de pesquisas junto ao TSE:

Fonte: https://pesqele.tse.jus.br/pesqele-publico/app/pesquisa/listar.xhtml

Para tirar a limpo tudo que ocorreu durante a campanha, vamos traçar um comparativo de cada Instituto, no que se refere às pesquisas divulgadas e aos resultados nas urnas.

VOX DATA:

O Instituto Vox Data registrou seis das 13 pesquisas que constam oficialmente no site do TSE. Duas durante o período da pré-campanha e quatro durante a campanha. As pesquisas registradas na pré-campanha não sofreram pedido de impugnação, nem foram suspensas para a divulgação. No período da campanha, esta empresa foi a que mais registrou pesquisas no município, sendo quatro ao todo. As quatro pesquisas registradas sofreram pedidos de impugnação, e na ampla maioria, apresentando irregularidades, foram suspensas pela juíza eleitoral Dra Luciana Beal. Somente uma delas foi liberada para a divulgação.

O Instituto Vox Data, contratado pelo candidato Tita Furlan, está localizado no município de Cascavel. A empresa não possui registro no Conselho Regional de Estatística (CONRE4), e agora, também não possui estatístico, pois Augusto Rocha teve seu pedido de registro secundário negado pelo CONRE4. Ele é conhecido nacionalmente por várias denúncias de fraudes em pesquisas.

A única pesquisa divulgada pelo Vox Data foi registrada sob o nº PR-01267/2020 e entrevistou 700 pessoas, entre os dias 24 e 26 de outubro, tendo como margem de erro 3,67% e 95% de grau de confiança. Quanto aos resultados apresentados por esta empresa, se confrontados com os resultados nas urnas, podemos ver o quanto estão destoantes. Praticamente todos os dados estão com larga diferença entre os resultados das urnas, especialmente as de Tita Furlan, que destoa 14% dos resultados finais, representando um erro de quase 10 mil votos. Além disso, “errou” os resultados para Beto Lunitti, Lucio de Marchi e Simone Sponholz, e a ordem de votação de Corazza e de Jaqueline Machado.

A tabela a seguir traça o comparativo entre o que foi apresentado na pesquisa, a porcentagem de votos válidos, o resultado nas urnas e o erro amostral. A coluna “pesquisa” refere-se aos resultados apresentados pelo Instituto, contando os votos brancos, nulos e indecisos. A coluna “votos válidos” refere-se somente aos votos em que os eleitores mencionaram o nome de algum candidato, excluídos os brancos, nulos e indecisos, sendo, portanto, projetada a porcentagem. A coluna “urna” refere-se aos resultados da votação do dia 15 de novembro. A coluna “erro”, com seu respectivo valor, refere-se à margem de erro da pesquisa, sendo apresentada a diferença entre os “votos válidos” e os resultados das “urnas”.

VOX DATAPESQUISAVOTOS VÁLIDOSURNAERRO 3,67
BETO LUNITTI34,0039,0833,725,36
CLÁUDIA MALLMANN0,000,000,720,72
CORAZZA3,003,452,141,31
JAQUELINE MACHADO2,002,303,140,84
LUCIO DE MARCHI18,0020,6929,879,18
SIMONE SPONHOLZ4,004,6014,529,92
TITA FURLAN26,0029,8915,8914,00
BRANCOS/NULOS3,007,904,90
INDECISOS10,00

Importante dizer que para complicar a situação do Vox Data, ao ser solicitado os questionários de todas as pesquisas registradas, a empresa negou-se a entregá-los à Justiça Eleitoral, dizendo – pós-período de coleta dos dados de campo – que não tinha aplicado à pesquisa (?????). Vale também a observação de que após ser solicitado os questionários, a empresa parou de registrar novas pesquisas no município. Por que será?

Na última live que antecedia as eleições, Tita Furlan questionou o resultado dos outros Institutos, já que neles, aparecia na terceira posição, com votação abaixo da que fez como deputado estadual em 2018. Como é ingênuo esse garoto! Ninguém o colocou em 3º lugar, seus votos é que despencaram: quase terminou “de quatro”.

VÉRITAS:

O Instituto Véritas registrou duas pesquisas durante o período da campanha, das que aparecem oficialmente no site do TSE. Ambas sofreram pedidos de impugnação, e por uma delas apresentar irregularidades, foi suspensa para a divulgação pela Justiça Eleitoral. O Instituto Véritas, contratado por Beto Lunitti, está localizado no município de Cascavel. A empresa não possui registro no Conselho Regional de Estatística (CONRE4).

A pesquisa divulgada foi registrada sob o nº PR-07452/2020 e entrevistou 383 pessoas, entre os dias 28 e 29 de outubro, tendo como margem de erro 5% e 95% de grau de confiança. Quanto aos resultados apresentados por esta empresa, se comparados aos resultados nas urnas, também percebemos o quanto foram destoantes, justamente os dados referentes aos candidatos Beto Lunitti e Lucio de Marchi. Pelos resultados apresentados, Beto Lunitti deveria ter feito uma votação aproximada de 36.304 votos, enquanto que na prática, fez nada mais nada menos do que 23.808 votos, ou seja, um “erro” de quase 12.500 votos. Por sua vez, Lucio de Marchi não passaria de 16.705 votos, ao passo que fez 21.087, ou seja, 4.382 votos a mais do que o previsto pelo Instituto. Além disso, “errou” a ordem de votação de Corazza e de Jaqueline Machado, bem como a margem de Simone Sponholz.

A tabela, a seguir, traça o comparativo entre o que foi apresentado na pesquisa, a porcentagem de votos válidos, o resultado nas urnas e o erro amostral. Os critérios são os mesmo já apresentados.

VÉRITASPESQUISAVOTOS VÁLIDOSURNAERRO 5,0
BETO LUNITTI42,2351,4233,7217,70
CLÁUDIA MALLMANN0,780,950,720,23
CORAZZA3,113,792,141,65
JAQUELINE MACHADO2,332,843,140,30
LUCIO DE MARCHI19,4323,6629,876,21
SIMONE SPONHOLZ4,155,0514,529,47
TITA FURLAN10,1012,3015,893,59
BRANCOS/NULOS5,44 7,902,46
INDECISOS12,43   

Ao ser solicitado os questionários de todas as pesquisas registradas pela empresa, a mesma negou-se a entregá-los à Justiça Eleitoral, da mesma forma como fez a Vox Data, igualmente alegando – pós-período de coleta dos dados de campo – que não tinha aplicado à pesquisa. Para complicar a situação do Instituto, o Ministério Público recomendou a instauração de um Inquérito Policial, por indícios de fraude, pois ao ser solicitado os questionários, a empresa conseguiu “sumir” com mais de 1.000 questionários.

Para quem “gritou” na Câmara Legislativa que estava com vantagem de mais de 20% sobre o segundo colocado, não podemos pensar outra coisa a não ser em “erro grave de pesquisa” (ou seria outro nome?) ou que Beto Lunitti sofreu a mais dura derrota nas urnas e “penou” para vencer um adversário ao qual subestimava a sua força.

DATAMEDIA

O Instituto Datamedia registrou uma pesquisa durante o período da campanha. A mesma sofreu pedido de impugnação, mas foi liberada para a divulgação pela Justiça Eleitoral. O Instituto está localizado no município de Cascavel e também não possui registro no Conselho Regional de Estatística (CONRE4).

A pesquisa divulgada foi registrada sob o nº PR-03125/2020 e entrevistou 650 pessoas, entre os dias 06 e 07 de novembro, tendo como margem de erro 3,8% e 95% de grau de confiança. Quanto aos resultados apresentados por esta empresa e os resultados das urnas, novamente percebemos que foram destoantes. Entretanto, há alguns fatos que muito nos chamam a atenção: os dados apresentados não fecharam 100%; os valores cobrados para a realização da pesquisa estão consideravelmente abaixo dos valores praticados no mercado; e sobre a empresa, recaem várias denúncias, especialmente por apresentar resultados muito diferentes aos das urnas, o que foi constatado em vários municípios da região.

Em vídeos divulgados no Facebook, um cidadão do município de Mercedes desnudou a forma como esta empresa aplica os questionários e como fez as pesquisas por lá: os pesquisadores preencheram os questionários dentro do carro. E, claro, os resultados da pesquisa e das urnas, foram bem diferentes naquele município.

A tabela a seguir, traça o comparativo entre o que foi apresentado na pesquisa, a porcentagem de votos válidos, o resultado nas urnas e o erro amostral. Os critérios são os mesmo já apresentados.

DATAMEDIAPESQUISAVOTOS VÁLIDOSURNAERRO 3,8
BETO LUNITTI35,1039,3533,725,63
CLÁUDIA MALLMANN2,502,800,722,08
CORAZZA4,404,932,142,79
JAQUELINE MACHADO5,105,723,142,58
LUCIO DE MARCHI21,0023,5429,876,33
SIMONE SPONHOLZ3,203,5914,5210,93
TITA FURLAN17,9020,0715,894,18
BRANCOS/NULOS3,90 7,904,00
INDECISOS2,60   

EXCELÊNCIA

O Instituto Excelência Pesquisas foi o único que conseguiu divulgar todas as pesquisas das quais registrou. As mesmas sofreram pedidos de impugnação, mas nenhuma foi impedida de divulgar seus resultados, já que não apresentaram qualquer indício de irregularidade. Vale lembrar que as três pesquisas foram precisas quanto aos resultados das urnas, mesmo a empresa sendo alvo de ataques da coligação de Beto Lunitti, com uma produção em série de Fake News. O Instituto está localizado na cidade de Toledo e possui registro no Conselho Regional de Estatística (CONRE4), sob o número J3172.

Nas três pesquisas, o Instituto apontava a vantagem para Betto Lunitti para o pleito, mas sempre indicou que a disputa estava acirrada, com empate técnico com o atual prefeito Lucio de Marchi, o que de fato se constatou nas urnas. De todos os resultados, somente o da candidata Simone Sponholz destoou um pouco das urnas em relação ao erro amostral. A diretora do Instituto explicou a este Jornal, que “é normal este tipo de situação ocorrer quando um candidato está em curva ascendente, como foi o caso da Simone Sponholz”. Disse também que para este caso, não se trata de um erro (até porque a diferença em relação ao erro amostral foi de 1,2%, na última pesquisa). As pesquisas realizadas pelo Instituto captaram o crescimento da candidata, sendo que ela continuou em crescimento diante do eleitorado, pós-realização das pesquisas. “Todas as semanas em que íamos a campo, a candidata crescia alguns pontos, então o resultado das urnas realmente iriam ficar diferente. É normal.”, relatou a responsável pela empresa.

A primeira pesquisa realizada e divulgada pelo Instituto foi registrada sob o nº PR-01771/2020 e entrevistou 600 pessoas, entre os dias 22 e 25 de outubro, tendo como margem de erro 4% e 95% de grau de confiança. A tabela a seguir, traça o comparativo entre o que foi apresentado na pesquisa, a porcentagem de votos válidos, o resultado nas urnas e o erro amostral. Os critérios são os mesmo já apresentados.

EXCELÊNCIAPESQUISA 1VOTOS VÁLIDOSURNAERRO 4,0
BETO LUNITTI25,734,0433,720,32
CLÁUDIA MALLMANN1,31,720,721,00
CORAZZA3,54,642,142,50
JAQUELINE MACHADO2,53,313,140,17
LUCIO DE MARCHI2330,4629,870,59
SIMONE SPONHOLZ5,87,6814,526,84
TITA FURLAN13,718,1515,892,26
BRANCOS/NULOS5,70 7,902,20
INDECISOS18,80   

A segunda pesquisa realizada e divulgada pelo Instituto foi registrada sob o nº PR-02545/2020 e entrevistou 810 pessoas, entre os dias 31 de outubro e 03 de novembro, tendo como margem de erro 3,4% e 95% de grau de confiança. A tabela a seguir, traça o comparativo entre o que foi apresentado na pesquisa, a porcentagem de votos válidos, o resultado nas urnas e o erro amostral. Os critérios são os mesmo já apresentados.

EXCELÊNCIAPESQUISA 2VOTOS VÁLIDOSURNAERRO 3,6
BETO LUNITTI27,535,5833,721,86
CLÁUDIA MALLMANN1,001,290,720,57
CORAZZA3,604,662,142,52
JAQUELINE MACHADO2,102,723,140,42
LUCIO DE MARCHI23,1029,8829,870,01
SIMONE SPONHOLZ5,707,3714,527,15
TITA FURLAN14,3018,5015,892,61
BRANCOS/NULOS6,50 7,901,40
INDECISOS16,60   

A terceira pesquisa realizada e divulgada pelo Instituto foi registrada sob o nº PR-09444/2020 e entrevistou 810 pessoas, entre os dias 06 e 09 de novembro, tendo como margem de erro 3,4% e 95% de grau de confiança. A tabela a seguir, traça o comparativo entre o que foi apresentado na pesquisa, a porcentagem de votos válidos, o resultado nas urnas e o erro amostral. Os critérios são os mesmo já apresentados.

EXCELÊNCIAPESQUISA 3VOTOS VÁLIDOSURNAERRO 3,6
BETO LUNITTI28,8035,4233,721,70
CLÁUDIA MALLMANN1,101,350,720,63
CORAZZA3,704,552,142,41
JAQUELINE MACHADO4,205,173,142,03
LUCIO DE MARCHI23,6029,0329,870,84
SIMONE SPONHOLZ7,909,7214,524,80
TITA FURLAN12,0014,7615,891,13
BRANCOS/NULOS4,90 7,903,00
INDECISOS13,80   

Em termos práticos, os resultados das urnas, mostraram que trabalho técnico, feito com rigor científico, reflete a realidade. Portanto, toda jogada política feita pela Coligação de Beto Lunitti para desqualificar o Instituto Excelência Pesquisas, o “mensageiro” das pesquisas VERDADEIRAS (ou as urnas estão erradas?), nada mais era do que o medo de perder para o prefeito Lucio de Marchi. Por outro lado, a necessidade de enganar o eleitor e dizer que Tita Furlan era o segundo colocado, se mostra agora ainda mais evidente, como uma estratégia política e eleitoral para ludibriar os eleitores.

G10

O Instituto G10, contratado por este Jornal, registrou uma pesquisa e sofreu pedidos de impugnação, tanto da coligação de Beto Lunitti, como da coligação de Tita Furlan, mas não foi impedida de divulgar seus resultados. Por opção deste Jornal, não fizemos a divulgação no período da campanha eleitoral, mas o faremos agora. O Instituto está localizado na cidade de Marechal Cândido Rondon e possui registro no Conselho Regional de Estatística (CONRE4).

A pesquisa realizada pelo Instituto foi registrada sob o nº PR-00845/2020 e entrevistou 778 pessoas, entre os dias 05 e 07 de novembro, tendo como margem de erro 3,5% e 95% de grau de confiança. A pesquisa também apresenta resultados muito próximo das urnas, mostrando a seriedade e o rigor técnico aplicado.

A tabela a seguir, traça o comparativo entre o que foi apresentado na pesquisa, a porcentagem de votos válidos, o resultado nas urnas e o erro amostral. Os critérios são os mesmo já apresentados.

G10PESQUISAVOTOS VÁLIDOSURNAERRO 3,5
BETO LUNITTI32,3039,1533,725,43
CLÁUDIA MALLMANN0,300,360,720,36
CORAZZA2,202,672,140,53
JAQUELINE MACHADO3,203,883,140,74
LUCIO DE MARCHI22,5027,2729,872,60
SIMONE SPONHOLZ6,808,2414,526,28
TITA FURLAN15,2018,4215,892,53
BRANCOS/NULOS4,10 7,903,80
INDECISOS13,50   

Como vimos, tivemos pesquisas para todos os gostos e algumas nitidamente ao “gosto do freguês”. Foi vergonhoso ver alguns candidatos saindo com pesquisas duvidosas embaixo do braço, acusando os Institutos que acertaram nas urnas, de fraude. Nossos políticos precisam ter mais cautela e respeito com o processo eleitoral, com os eleitores e com as empresas idôneas.