Imagem de arquivo de via iluminada na usina: efeito visual será parecido nos trechos do projeto na BR-277. Foto: Caio Coronel/Itaipu Binacional.

A instalação de iluminação em trechos urbanos da BR-277, em Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu e São Miguel do Iguaçu, no Oeste do Paraná, deve começar no segundo semestre deste ano – provavelmente em setembro ou outubro. Nesta semana, o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) publicou o edital de licitação para a obra, que tem prazo de execução previsto de até 18 meses, deve custar quase R$ 14 milhões, com recursos da margem brasileira da Itaipu Binacional, e vai contribuir decisivamente para a diminuição do número de acidentes naquele trecho da rodovia.

As empresas interessadas devem protocolar seus envelopes com propostas de preços e com documentos de habilitação até o dia 15 de julho, na sede do DER-PR, em Curitiba. A licitação utiliza a modalidade concorrência pública, na qual o vencedor é definido pela proposta de preço mais vantajosa. A abertura dos envelopes de preços acontecerá no dia seguinte, às 14h, no auditório do DER/PR, com transmissão pela internet, no portal Compras Paraná: https://www.administracao.pr.gov.br/Compras/Pagina/Compras-Parana-Consulta-de-Editais-e-Licitacoes.

“Depois da homologado o resultado, nossa expectativa é que em aproximadamente 45 dias possamos assinar a ordem de serviço”, afirma o engenheiro Sérgio Bopp, gerente da Divisão de Serviços da Itaipu. “Como o prazo para a execução começa a contar a partir da assinatura do contrato e da ordem de serviço, é bem provável que a obra possa começar em setembro deste ano”, diz.

LED, cabeamento subterrâneo e poste colapsível

O edital prevê a instalação de postes de aço do tipo colapsível – ou seja, no caso de um acidente em que o veículo venha a colidir com ele, a estrutura “se desmonta”. Os postes ficarão no canteiro central e nas laterais, conforme o trecho, com rede elétrica subterrânea, para preservar os cabos contra a ação do tempo e evitar a poluição visual. A iluminação será feita com luminárias LED de 250 watts.

“A rodovia conta com sinalização apropriada para o tráfego noturno, mas a iluminação viária proporciona ainda mais segurança, especialmente em travessias urbanas, reduzindo o número de acidentes e atropelamentos”, explica o diretor-geral do DER-PR, Fernando Furiatti.

União

A ação é resultado de um convênio entre a Itaipu e os governos estadual e federal. Serão contemplados cerca de 11 quilômetros em Foz do Iguaçu, cinco quilômetros em Santa Terezinha de Itaipu e quatro quilômetros em São Miguel do Iguaçu.

A iluminação trará mais segurança para condutores e pedestres, pois, segundo as estatísticas da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o número de acidentes graves no trecho que receberá a iluminação é muito superior no período noturno (de 64% a 75%, dependendo do trecho), o que torna a ação ainda mais providencial.

“Para a Itaipu, a segurança também é prioridade e a BR-277, rodovia mais importante do Paraná, que corta o Estado de Leste a Oeste, precisa ser a mais segura possível, o que ajuda a preservar vidas e a incentivar a economia e o turismo, e isso está de acordo com a nossa missão institucional”, afirma o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general João Francisco Ferreira.

Segundo o secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex, esta é mais uma ação possibilitada pelo estreitamento da relação entre Itaipu e o governo estadual. “Iniciamos essa monumental parceria com a Itaipu Binacional pela nova Ponte da Integração Brasil – Paraguai, e os resultados são tão positivos que abriram as portas para a assinatura de ainda mais convênios, que vão revolucionar a infraestrutura viária na região Oeste e Noroeste”, diz.

“Além desse edital de iluminação da BR-277, vamos licitar em breve a duplicação da Rodovia das Cataratas e já temos em andamento também a Perimetral Leste de Foz do Iguaçu, a pavimentação da Estrada Boiadeira, perto de Umuarama, e estamos começando a duplicação da BR-277 em Cascavel”, destaca o secretário.

Essas e outras obras integram um pacote de ações da Itaipu, iniciado em 2019 e possibilitado por meio do redirecionamento de recursos que, no total, somam R$ 2,5 bilhões em investimentos em infraestrutura e representam um novo salto desenvolvimentista para a região.