Foto: Carlos Rodrigues/Secom

O Setor de Controle e Combate às Endemias promove, neste sábado (27), uma mobilização municipal de combate à dengue. A ação envolve os agentes de combate às endemias e tem o intuito de alertar a população sobre a importância de eliminar os criadouros do Aedes aegypti, transmissor da doença, além da zika e chikungunya. Na Praça Willy Barth, das 9h às 20h, haverá orientação à população sobre os cuidados e sintomas, com blitz educativa. 

De acordo com a coordenadora da ação, Lilian Konig, a intenção é conscientizar os cidadão sobre a importância de manter o quintal limpo. “Vamos abordar as pessoas, teremos espaço para demonstrar como são as larvas e como proceder para eliminar focos de infestação”. Lilian ainda lembrou a importância das pessoas realizarem a limpeza dos quintais, eliminando água parada e possíveis reservatórios.

Entre os locais mais propícios estão recipientes expostos à água da chuva, como lixo, calhas e ralos entupidos, pratos e vasos de plantas, reservatórios de água para animais domésticos, buracos em árvores, bromélias, caixas d’água e lajes. “Temos focos também dentro das residências, por isso é preciso regularmente fazer uma varredura em vasos sanitários desativados, coletores de água da geladeira e do ar condicionado, suporte de água, entre outros”.

Durante a atividade na Praça Willy Barth, os agentes de combate às endemias também irão detalhar os cuidados com os escorpiões, outro problema que surge com a chegada do verão. 

Doenças causadas pelo mosquito – A dengue, chikungunya ou zika são doenças febris graves, transmitidas pela picada do mosquito Aedes aegypti. No verão, com o aumento das chuvas e elevação das temperaturas, há o crescimento também na proliferação do vetor, que se reproduz em água parada. Os sintomas incluem febre, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele, manchas vermelhas pelo corpo, além de náuseas, vômitos e dores abdominais. Ao sinal desses sintomas, a orientação é procurar imediatamente a unidade ou serviço de saúde mais próximo de sua residência.

Dengue em Toledo – No atual ano epidemiológico para a dengue, iniciado no mês de agosto, Toledo já emitiu 463 notificações de depósitos com larvas, resultando em 34 multas. Também foram registrados 22 casos suspeitos de dengue, porém nenhum foi confirmado ainda. “Nesta semana foram realizados cinco bloqueios por casos suspeitos de dengue. Esta ação, chamada bloqueio, tem o objetivo de identificar se na casa ou num raio de 300 metros do caso suspeito, há focos do mosquito Aedes aegypti”, explica Lilian.

Fonte: Secretaria Municipal de Comunicação