Leomar Rohden. Foto: Marili Koehler

O projeto prevê a disponibilização de laboratórios, corpo científico e técnico para a geração de resultados econômicos e sociais

Um termo de cooperação técnica entre o Conselho de Desenvolvimento dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu e a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), assinado recentemente, possibilitará um trabalho conjunto em ações regionais. A parceria visa atender demanda oriundas, tanto do poder público, quanto da população.

Para o diretor do Câmpus da Unioeste de Marechal Cândido Rondon, Davi Félix Schreiner, é uma iniciativa extremamente importante porque se traduz em uma relação dialógica na qual as instituições e a universidade poderão trabalhar juntas no desenvolvimento econômico e social.  “O que se pretende é que a universidade coloque seus laboratórios, corpo científico e técnico para a geração de renda, empregos, melhoria da qualidade de produção, e crescimento da economia local”, ressalta. “É um trabalho muito importante junto com a Unioeste para trazer o conhecimento dos profissionais da universidade em várias áreas”, destaca o presidente do Conselho dos Lindeiros, prefeito de Pato Bragado, Leomar Rohden (Mano).

Conforme o termo de cooperação técnica, estão previstas ações no âmbito científico, cultural, do ensino, pesquisa, extensão e prestação de serviços. “É um conjunto de ações que visam atender as demandas regionais com transferência de tecnologias e saberes”, destaca  Schreiner.

Projeto de Governança

O ‘Programa Governança, Inovação e Inteligência para Desenvolvimento dos Arranjos Produtivos nos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu’ é uma das dimensões do termo de cooperação e conta com 11 eixos inter-relacionados para serem executados a médio e longo prazo.

O diretor do Câmpus ressalta que o programa já conta com o apoio da Superintendência de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (Seti), Fundação Araucária, Parque Tecnológico de Itaipu (PTI) e Unioeste. Além disso, se avança nos diálogos para apoio da Secretaria de Estado de Planejamento e Projetos Estruturantes , segundo Davi Schreiner. Instituições na área de segurança também foram contatadas para participar e apoiar o projeto e o programa de Governança. “Temos a certeza de que juntos, com Unioeste e outros parceiros que podem se engajar, vai ser uma iniciativa muito importante para o desenvolvimento sustentável conjunto dos municípios lindeiros”, ressalta Rohden.

As entidades que se congregarem ao programa não serão apenas atores e, sim, sujeitos, conforme os organizadores. “Trata-se de uma igualdade entre as instituições e entidades, o reconhecimento de que são importantes em um programa de tamanha envergadura para desenvolvimento dos municípios lindeiros”, frisa Schreiner.

Ideia para o programa

A ideia para o programa surgiu a partir de contatos com gestores regionais quando era abordada a necessidade de participação da universidade para suprir demandas da região, conforme o diretor do Câmpus. Detalhes começaram a ser discutidos por um grupo de professores que se integrou ao Conselho dos Lindeiros para a construção do projeto, a partir de 11 eixos temáticos.

O Programa de Governança deve contar com um comitê gestor, com participação de entidades colaboradoras, as quais farão parte da gestão com ações retroalimentadas e de avaliação dos resultados e ações em desenvolvimento.

Fonte: Comunicação Lindeiros