Imagem ilustrativa com com colmeia em Três Arroios/RS. Foto: Reprodução

Trinta e cinco pesquisadores de dez países da América Latina, entre eles  a bióloga da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Carmen Pires, estão fazendo um trabalho colaborativo inédito para avaliar a taxa de perda de colmeias de abelhas na região, que envolve Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, México, Peru e Uruguai). Coordenado pelo professor Fabrice Requier, membro do Instituto de Investigaciones en Recursos Naturales, Agroecología y Desarrollo Rural (IRNAD), este estudo objetiva identificar ameaças e fatores de mortalidade das colmeias de abelhas nesta parte do mundo. 

Segundo Carmen Pires, a pesquisa conta com apoio da  Sociedade Latinoamericana de Investigações em Abelhas (SoLatInA) e está na forma de questionários padronizados, que são distribuídos entre os apicultores e meliponicultores dos países envolvidos, simultaneamente. São questionamentos que podem ser respondidos rapidamente – entre 8 e 12 minutos. “ A pesquisa é dirigida à perda de colmeias tanto das abelhas Apis mellifera como das abelhas nativas sem ferrão (meliponíneos)”, explica Carmem.

Os apicultores podem participar da pesquisa de duas formas. Para responder sobre as abelhas da espécie Apis mellifera, basta acessar o formulário on-line, em português, no endereço  https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSe76fDj7-6PutJi5Ei7bVJdXY-poME0UX-NHGASP7WnzKCcjQ/viewform?vc=0&c=0&w=1&flr=0 . Já para responder sobre abelhas nativas sem ferrão, o formulário on-line é outro e pode ser acessado em https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScXPK1qqVZMFPQVPuM4ZAfZHNiwn1Je2I5Id80P7TsKPMT6Wg/viewform?vc=0&c=0&w=1&flr=0  .

A pesquisa é anônima e não será utilizada com fins comerciais. De interesse exclusisamente científico, os resultados desse interesse permitirão a criação de bases sólidas para a tomada de decisão e a geração de políticas públicas para esse setor. As informações de perda de colmeia por país são analisadas periodicamente e os dados preliminares já estão disponíveis no site da Sociedade Latinoamericana de Investigações em Abelhas (SoLatInA)https://solatina.org/temas-de-estudio/monitoreo/.

Fonte: Embrapa