Programa reúne tecnologias que visam a qualidade de vida dos cidadãos. Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional.

Representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) e da Itaipu Binacional, além de outras autoridades, participaram, na manhã da última sexta-feira (16), da entrega oficial de equipamentos do Programa Vila A Inteligente, em Foz do Iguaçu (PR).

Antes da solenidade, as autoridades fizeram uma visita guiada pelo Itaipu A (nome oficial do bairro) para conferir como funcionam as novas tecnologias, entre elas, pontos de ônibus, semáforos e luminárias inteligentes e o Centro de Controle e Operações (CCO) do programa, instalado no Gramadão da Vila A.

O evento marcou o encerramento da primeira fase do programa, contemplado com investimentos de mais de R$ 10 milhões – sendo R$ 6 milhões da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e R$ 4 milhões da Itaipu Binacional.

A partir de agora, o foco do Vila A Inteligente será a atração de empresas para atuarem no projeto por meio da instalação de ambientes experimentais (sandbox) no bairro. O lançamento on-line, no último dia 7, atraiu mais de cem interessados. O edital está disponível em hubiguassu.pti.org.br.

Segundo o secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTI, Paulo Cesar Rezende de Carvalho Alvim, esse tipo de projeto é um investimento que se desdobra. “O que a gente tem aqui é não só o aperfeiçoamento de produtos que já estão no mercado, é também o desenvolvimento de um universo de aplicações que incluem segurança, mobilidade, saneamento, saúde, educação, energia, e que ainda beneficiam a gestão pública”.


Representantes das entidades parceiras participaram da cerimônia. Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional.

O programa é desenvolvido em parceria pela Itaipu Binacional, PTI-BR, ABDI, Prefeitura de Foz do Iguaçu e Copel; e integra as ações do Programa Acelera Foz, movimento que nasceu em 2020 para diversificar a economia do município e acelerar a retomada do crescimento no período pós-pandemia de covid-19.

O diretor-geral brasileiro da Itaipu, general João Francisco Ferreira, reforçou a importância do envolvimento das diversas instituições apoiadoras do projeto. “Vejo parceiros motivados, cooperativos e unidos pelo mesmo objetivo, e a Itaipu continuará apoiando a iniciativa em todos os momentos”, garantiu.

O general Eduardo Garrido, diretor-superintendente da Fundação PTI-BR, corroborou a importância das parcerias: “Juntos, somos mais inovadores”, resumiu. Ele também aproveitou para agradecer o apoio dos moradores do bairro. “Na verdade, eles é que sofrem os impactos, e são eles que estão nos ajudando nessa experimentação”, disse o general.

O Vila A Inteligente foi lançado no final de julho de 2020 com o objetivo de contribuir para qualidade de vida dos moradores, melhorar o acesso e a disponibilidade dos serviços públicos, favorecer o empreendedorismo e gerar novos negócios, com a atração de startups e empresas de base tecnológica. Também poderá servir de modelo para replicação em outros bairros e municípios.

“É um projeto que começou pequeno, em um laboratório, e foi, a partir dos parceiros, crescendo dia após dia”, afirmou o presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Igor Calvet. “Hoje, temos aqui a concretização de algo que estava nos nossos sonhos, que era transformar uma cidade por meio da tecnologia.”

Também participaram da cerimônia, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro; o superintendente geral de Inovação do Paraná, Marcelo Rangel, que representou o governador Ratinho Junior; o diretor de Desenvolvimento de Negócios da Copel, Cassio Santana da Silva; o diretor de Coordenação da Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell; entre outras autoridades.

Sobre o programa

O Vila A Inteligente atua em quatro grandes eixos: segurança pública, mobilidade, meio ambiente e integração com a comunidade. Tecnologias relacionadas ao conceito de Cidades Inteligentes foram implantadas para transformar o espaço urbano no primeiro bairro público sandbox do Brasil, ou seja, um ambiente de testes reais e de validação das soluções.


Semáforos inteligentes no cruzamento da Av. Paraná com a Av. Silvio Américo Sasdelli. Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional.

Alguns desses equipamentos começaram a funcionar, em caráter experimental, no início do ano. É o caso dos semáforos inteligentes, instalados nos quatro principais cruzamentos da Vila A – na Avenida Silvio Américo Sasdelli, Avenida Garibaldi, Avenida Tancredo Neves e BR-277.

Os novos semáforos conseguem ajustar o intervalo de sinal aberto ou fechado conforme o movimento da via, em tempo real, melhorando o fluxo de veículos. Também podem detectar ambulâncias, para garantir agilidade no transporte de vítimas de acidentes, e emitem sinal sonoro para deficientes visuais.

Outros equipamentos que entraram em operação são as câmeras inteligentes de alta resolução e as luminárias com telegestão (controle a distância). Softwares de reconhecimento facial e monitoramento de veículos por placas também estão operando no bairro, o que permite maior planejamento ou ações pontuais na área da segurança pública.

Em abril, foram instalados quatro pontos de ônibus inteligentes, três na Avenida Silvio Américo Sasdelli e um na Avenida Gramado. Os pontos estão equipados com painéis LED que mostram informações úteis, como as linhas de ônibus, horários e itinerários, têm iluminação própria (o que aumenta a segurança à noite) e entrada USB para carregamento de celular. No futuro, terão rede Wi-Fi gratuita e informações do tempo, entre outros serviços.

Todas as tecnologias são monitoradas no Centro de Controle e Operações (CCO), na Concha Acústica do Gramadão. O centro dispõe de monitores integrados a um software de video wall, o que permite a visão integral de todas as imagens obtidas pelas câmeras do projeto distribuídas na Vila A.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Itaipu