Foto: Ascom/SerToledo

Na última quinta-feira, 09, a Secretária-Geral do SerToledo, Marlene da Silva, visitou a Superintendente da Caixa de Assistência dos Servidores Municipais de Toledo (CAST), Ieda Rosa Greselle, para esclarecer alguns pontos que vem preocupando os servidores públicos. Recentemente o plano de saúde foi adquirido pela Athena Saúde, que inclui também o Hospital Marechal Cândido Rondon, com atuação em Toledo e mais dez cidades próximas. A conclusão do negócio e o início da operação aconteceram a partir de 1º de abril, de 2021. Ieda  Greselle frisa que não mudou nada no plano de saúde. “As dúvidas que alguns tiveram e nos procuraram, nós sanamos. E também realizamos uma reunião com o Conselho da Saúde para que tudo ficasse transparente. Essa migração de ações não afetou o nosso contrato, está tudo legal. Não mudou nada, por isso não fizemos nenhum comunicado”.

Três pontos importantes foram questionados pelo SerToledo: descredenciamento de médicos, internamentos em outras cidades e programas oferecidos aos servidores.

PROGRAMAS

Segundo Ieda Greselle, houve mudanças nos programas oferecidos aos beneficiários a exemplo das aulas de pilates. “Quando se trata de programas precisamos de mais comunicação, e o nosso novo aplicativo estará pronto no mês de outubro, e faremos um processo de divulgação. Esse aplicativo será uma ferramenta que estamos muito necessitados, que é para chegar à informação aos beneficiários em tempo real. O nosso contrato não contempla nenhum programa, porque não existe operadora no Brasil que oferece isso. Um dos programas que nós oferecíamos era o pilates, que é da medicina preventiva. E também o ‘Amigo do Peito’, o Funcional e o Alívio da Dor, entre outros. A crise financeira é um dos reflexos da falta desses programas. Não iremos cortar esses programas, estamos remodelando. O valor desses programas ainda está em discussão”, diz.  

INTERNAMENTOS

A Superintendente da CAST explica quando um beneficiário pode ser internando em Maringá. “O hospital Bom Samaritano, em Maringá, está credenciado, e é do Grupo Athena. Esse hospital tem todas as especialidades, e muitas não têm em Toledo, principalmente na área de pediatria. Se o beneficiário for para Maringá, por exemplo, necessitando de uropediatra, lá ele vai pagar a tabela de credenciamento como se fosse a um médico de Toledo, de R$ 44,50 a R$ 65,00, e ainda a operadora paga o transporte. Claro, se ele quiser, não é obrigado, se ele não puder ir, indicamos um hospital de Cascavel. Os internamentos continuam normais, com as possibilidades de Maringá e Marechal Rondon”.

Ieda recomenda que o servidor quando precisar procure antes o Centro de Atenção em Saúde (CAS).

DESCREDENCIAMENTO DE MÉDICOS

Para Ieda Greselle, o descredenciamento de médicos sempre teve. “O endocrinologista, por exemplo, não tem serviços adicionais, então quando ele faz uma clientela, ele sai do plano. O importe é que o médico tem que atender o que está contratualizado seguindo a ANS e as normativas, que a consulta tem que ser durante 21 dias durante o mês. Temos problemas também com cirurgiões vasculares”.

Marlene da Silva disse a Ieda, que o SerToledo orienta aos servidores que primeiro procure a CAST para se informarem, e depois, se não houver um entendimento que procure o Sindicato. Ieda ressaltou que o Sindicato é uma porta aberta de parceria entre os servidores e a CAST. “Primeiro o beneficiário tem que procurar a CAST, antes de levar uma demanda para o SerToledo. Estamos aqui para atender, resolver e esclarecer, e vamos dar início aos encaminhamentos, isso é o nosso dever”, diz. Dúvidas: Email da CAST: cast@toledo.pr.gov.br.

Fonte: Assessoria de comunicação do SerToledo – Jornalista Marco Antônio