café. Foto: José Fernando Ogura/ANPr

A semana começa com valorização para os principais contratos do mercado futuro do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Future US). As cotações voltam a registrar movimentações mais expressivas, após encerrar a última semana operando próximo da estabilidade.
Por volta das 09h12 (horário de Brasília), julho/20 tinha alta de 80 pontos, valendo 95,65 cents/lbp, setembro/20 subia 220 pontos, negociado por 98,85 cents/lbp, dezembro/20 subia 210 pontos, valendo 101,15 cents/lbp e março/21 registrava valorização de 200 pontos, valendo 103,05 cents/lbp.
Também por volta deste horário, o dólar registrava queda de 0,76% e era cotado por R$ 5,42 na venda. O dólar mais baixo pode dar suporte de alta aos preços em Nova York. Mesmo com a baixa, o valor de R$ 5,42 é interessante para exportação brasileira. O Brasil é o maior produtor e exportador de café do mundo.
Mercado Interno – Última sessão
O tipo 6 bebida dura bica corrida, teve alta de 2,99% em Guaxupé/MG, valendo R$ 517,00. Poços de Caldas/MG registrou valorização de 1,01%, valendo R$ 500,00. Patrocínio/MG registrou valorização de 2,04%, negociado por R$ 500,00. Araguarí/MG teve alta de 2%, valendo R$ 510,00, Varginha/MG teve aumento de 2,91%, valendo R$ 530,00, Campos Gerais/MG teve alta de 2,08%, negociado por R$ 491,00. Em Espírito Santo do Pinhal a valorização foi de 4,17%, estabelecendo os valores por R$ 500,00 e Franca/SP teve alta de 2%, valendo R$ 510,00.
O tipo cereja descascada teve alta de 2,82% em Guaxupé/MG, valendo R$ 583,00. Poços de Caldas/MG registrou alta de 0,85%, valendo R$ 590,00. Patrocínio/MG teve alta de 1,85%, valendo R$ 550,00, Campos Gerais/MG registrou valorização de 1,86%, negociado por R$ 549,00 e Espírito Santo do Pinhal/SP teve aumento de 2%, valendo R$ 510,00.
Por: Virgínia Alves
Fonte: Notícias Agrícolas