Foto: Divulgação/Biopark

A Ssys é referência em Linux no Brasil e pioneira em parcerias com grandes empresas internacionais desenvolvedoras de softwares

Tendo a área de Tecnologia da Informação como um dos seus eixos de atuação, o Biopark visa atrair empresas e estimular o crescimento de soluções inovadoras e tecnológicas na Região Oeste do Paraná, além de ampliar a oferta de mão de obra especializada para este mercado.  Das empresas que atuam no local, mais de 50% trabalham com TI. Uma delas é a Ssys, uma software house fundada em Campinas (SP), e que ingressou recentemente no Ecossistema.  

A Ssys é especializada no desenvolvimento de projetos de gestão na nuvem, mobile, automação de data centers e desenvolvimento ágil. No mercado desde 2014, a empresa é referência no sistema operacional Linux no Brasil, e também é pioneira na América Latina como parceira da SUSE, organização líder de software de código aberto do mundo.  

A equipe da Ssys é formada por profissionais com mais de 15 anos de experiência. “Nossos diferenciais são o compromisso com o cliente, flexibilidade e suporte aos desafios. Não temos produtos de prateleira, o nosso foco é solucionar os desafios trazidos pelos nossos clientes”, explica Cléber Paiva de Souza, que fundou a empresa ao lado de Gabriel Cavalcante.  

Na área de desenvolvimento, a empresa possui uma fábrica de softwares que utiliza os conceitos de DevOps, uma metodologia de desenvolvimento ágil para softwares, aplicativos e operações. O conceito reúne práticas para integração e excelência dos times de engenharia de software e infraestrutura. Entre os clientes atendidos na fábrica estão grandes empresas de varejo e indústria como Casas Bahia, Ponto Frio, Laboratórios Aché, Grupo Pão de Açúcar, Piracanjuba, entre outros. 

De acordo com os sócios da empresa, o que atraiu a Ssys para o Biopark são as contribuições em gestão que o Ecossistema traz, além da demanda regional na área de TI. “Precisamos crescer de forma estruturada, e acreditamos que o Biopark vai nos auxiliar a estruturar as nossas operações especialmente do ponto de vista administrativo e financeiro. Além disso, há uma demanda muito grande na área de TI, e nosso know-how pode solucionar desafios das empresas da região”, acrescenta Cléber.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Biopark