Lyanara, da Novabio, uma das empresas incubadas e Denise, gestora de projetos, durante assinatura do contrato. Foto: Divulgação/Biopark

Além de mentorias de gestão e técnicas, participantes receberão um aporte de R$ 2 mil durante seis meses

O Biopark lançou na última semana mais uma iniciativa voltada ao fortalecimento da cultura empreendedora de Toledo e região. Trata-se de uma incubadora destinada a auxiliar negócios em estágio inicial na transformação de ideias em produtos ou serviços que entreguem soluções reais para o mercado.  

As empresas Novabio, Arfo e Lebenlog foram as primeiras selecionadas para fazer parte da Incubadora Biopark. A incubação terá duração de seis meses e vai ofertar mentorias em áreas técnicas e voltadas à gestão, além de um aporte  mensal de R$ 2 mil. A expectativa é que um edital seja lançado ainda em 2021 para a entrada de novas empresas no Programa.  

De acordo com Luiz Donaduzzi, fundador do Biopark, a incubação vem ao encontro das necessidades percebidas no relacionamento com as empresas que já atuam no local. “Entre as empresas que estão vindo para o Biopark, existem aquelas que já têm alguns funcionários, um produto claro no mercado e um faturamento razoável, mas também àquelas que precisam de uma assistência maior, sobretudo na área técnica – elas são o foco da Incubadora”, explica. 

Donaduzzi também acrescenta que a ideia da incubadora é um projeto antigo, baseado em exemplos bem sucedidos no mundo, principalmente no Canadá. “Para nós, a incubadora é a criação da nossa gente para o futuro”. 

Um dos diferenciais do projeto é a figura de um “mentor-padrinho” que vai auxiliar a identificar as necessidades da empresa. “Ao longo desse programa de incubação, queremos alavancar o desenvolvimento dessas empresas e seus produtos. Faremos isso com mentorias de gestão, mentorias técnicas e com o acompanhamento do “mentor-padrinho”, uma figura importante que estamos colocando dentro desse projeto. Escolhemos pessoas que são reconhecidas no que fazem e com muita experiência, que vão acompanhar semanalmente as incubadas”, explica o diretor institucional, Victor Donaduzzi. 

A Incubadora do Biopark também conta com a participação do Sebrae. “Quando uma empresa nasce é necessário um acompanhamento integral e direto para que se desenvolva, e é isso que uma incubadora faz. Estamos comprometidos com o crescimento dos negócios dessas empresas e com os empreendedores”, explica Alan Debus, consultor do Sebrae PR. Através da parceria, as incubadas participarão de treinamentos imersivos, workshops de modelagem de negócios, contato com metodologias ágeis, e por último o Demoday, que é a apresentação final do produto para o mercado.  

Para Lyanara Schneider Maranhão, sócia da Novabio, o projeto vai auxiliar para que o produto chegue mais rapidamente ao mercado. “Nós estamos muito animados com essa iniciativa e ansiosos para o início da Incubação. Eu vejo o Biopark como um parceiro chave para desenvolvimento tanto dos nossos gestores, quanto para nossas inovações e esperamos que no final do programa elas cheguem para os agricultores”, explica. A empresa está em fase de testes para uma solução voltada à agricultura, principalmente biofertilizantes. 

Câmpus de Startups 

Outro projeto do Biopark que já começou a sair do papel é o Câmpus de Startups – uma área de 36 mil m2 dividida em quatro blocos com 300 salas no total. O espaço será dedicado à instalação de empresas residentes no Biopark e também das participantes do Programa de Incubação. 

SOBRE O BIOPARK

O Biopark é um parque tecnológico 100% privado, localizado em Toledo – Oeste do Paraná. Criado pelos empreendedores Carmen e Luiz Donaduzzi – que possuem mais de 40 anos de experiência em empreendedorismo e desenvolvimento de pessoas – tem o objetivo de transformar Toledo e Região em referência nas áreas de pesquisa, inovação e geração de negócios. Estima-se que futuramente o empreendimento tenha uma população de 75 mil pessoas e gere mais de 30 mil postos de trabalho. Atualmente, o local possui quatro universidades, recebe uma nova empresa a cada 72 horas e tem mais de 100 negócios gerando aproximadamente 300 empregos diretos. Além disso, os investimentos no Biopark somam mais de R$ 300 milhões, entre eles, um Centro de Distribuição de Medicamentos da Prati-Donaduzzi, que já está com as obras avançadas, e um Complexo Hospitalar do Grupo Sempre Vida.