Foto: Divulgação/Biolabore

A Cooperativa de Trabalho e Assistência Técnica do Paraná (Biolabore), torna-se referência em assistência técnica e projetos para conservação de solo na região Oeste do Paraná. O investimento em novas tecnologias também é um fator que deve auxiliar na maior eficiência. O trabalho é prestado por intermédio de contrato com a Itaipu Binacional, pelo Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável.

O assessor técnico da Biolabore, Juliano Casagrande, que trabalha em Palotina, ressalta que, atualmente as demandas em conservação de solo são custeadas pela Itaipu Binacional em 80% dos valores necessários para a execução, e 20% pela Administração Municipal. Os proprietários de terras contratam o projeto técnico, feito pela equipe da Biolabore.

Biossolus

A cooperativa tem um grupo de profissionais, o Biossolus, com qualificação técnica para levantamento e produção de projetos em conservação de solo.

Segundo Juliano Casagrande, a Biolabore aparece como referência na região neste tipo de serviço e, atualmente investe em inovação. Pelo Biossolus, será feito um aperfeiçoamento técnico com utilização de drones em georreferenciamento e geoprocessamento para levantamento e projetos técnicos na conservação e nutrição de solo.

Em Palotina são 100 mil metros lineares de reformas de terraços e 20 mil metros lineares de construção. Conforme Casagrande, há expectativa de aumento da demanda para o próximo ano.

Foto: Divulgação/Biolabore

Fonte: Comunicação Biolabore