O Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron) completou sete anos de existência nesta quinta-feira (06/06) com grandes resultados. O BPFron atua em 139 municípios da fronteira do estado, abrangendo 150 quilômetros de território e, desde 2012 até agora, já retirou de circulação quase 43 toneladas de drogas, 566 armas de fogo e mais de 28 mil munições. As ações levaram 3,4 mil pessoas a serem encaminhadas.

O BPFron é a primeira unidade policial de fronteira do Brasil e foi criado através do decreto-lei nº 4,905 de 6 de junho de 2012 e conta com três companhias, a sede que fica em Marechal Cândido Rondon, já a segunda e terceira ficam em Guaíra e em Santo Antônio do Sudoeste, respectivamente. A atuação da unidade abrange 139 municípios do Oeste e Sudoeste do estado.

O batalhão conta com três modalidades de policiamento, o Pelotão do Corpo de Operações de Busca e Repressão Aquática (COBRA) realiza policiamento embarcado em toda a região do lago de Itaipu (abrangendo 170 quilômetros de 16 municípios). A Rondas Ostensivas com Aplicação de Motocicleta (ROCAM) faz o patrulhamento terrestre e o Pelotão de Operações com Cães (POC) atua nas três companhias e no recobrimento de área.

Ao longo dos sete anos de atuação na fronteira do Paraná com o Paraguai e com a Argentina já foram apreendidas mais de 42 toneladas de maconha, mais de 204,119 quilos de cocaína, 20 quilos de Skank, 162 quilos de haxixe, 67 plantas de maconha e 2,580 unidades de ecstasy. Mais de 3,5 milhões de pacotes de cigarros contrabandeados foram retirados de circulação, 44,303 volumes de contrabando foram apreendidos e 86.619 medicamentos anabolizantes foram apreendidos.

As operações a ações integradas do BPFron com outros órgãos resultaram em mais de 500 mil abordagens a pessoas, e destas, 3.425 foram encaminhadas. O trabalho preventivo também auxilia na localização de pessoas que possuem pendências com a justiça. Desde 2012 o batalhão cumpriu 574 mandados de prisão.

Todas as operações do grupo são cuidadosamente planejadas a fim de garantir o maior rendimento possível. Com apoio do Serviço Reservado do BPFron, o grupo identifica os pontos onde há atividade de contrabando e prepara uma ação para flagrar o ato ilícito. As atividades incluem abordagens e fiscalizações, patrulhamento nas áreas rurais e de barranca, além dos locais ribeirinhos nos rios Paraná, Iguaçu, Xambrê, entre outras da região. As ações abrangem ainda a localização de portos clandestinos.

PREPARO – A Unidade possui uma doutrina própria baseada nos treinamentos e conhecimentos adquiridos junto a outros grupos de segurança pública de fronteira, como o Núcleo Especial de Polícia Marítima (NEPON) da Polícia Federal, o Grupo de Repressão ao Contrabando (PRECON) da Receita Federal, a Marinha do Brasil e o Exército Brasileiro.

O contrabando é uma das vertentes que mais exige a atuação dos policiais militares, em especial o comércio de cigarros. Em sete anos foram apreendidos 3,6 milhões de pacotes, número que se justifica pela alta lucratividade deste produto no mercado ilegal. Outros produtos como pneus automotivos, celulares e até alimentos engrossam a lista de produtos trazidos ilegalmente para o Brasil. Só o BPFron apreendeu 10.208 pneus, 407 rádios comunicadores, mais de 44 mil volumes de contrabando e 1,7 tonelada de alimentos.

Por Marcia SantosJornalista PMPR