Foto: Ricardo Morante/secom

Os técnicos da Secretaria da Fazenda realizaram, nesta quarta-feira (26), a apresentação das metas fiscais referentes ao primeiro quadrimestre de 2021. Foram demonstrados os números relativos às receitas e despesas municipais no período. Os destaques ficaram por  conta dos investimentos em saúde, totalizando 22,5% das receitas, perfazendo R$ 34,8 milhões, além do limite prudencial de 48,67% das receitas correntes livres (RCL) para pagamento de servidores municipais no período de 05/2020 a 04/2021.

Atualmente, de acordo com o secretário da Fazenda Jadyr Cláudio Donin, o município possui um saldo de aproximadamente de R$ 26 milhões. “Pagando todas as despesas do município, ainda temos um resultado positivo”. Jadyr ainda apontou que atualmente a Prefeitura de Toledo possui uma dívida fundada de R$ 99 milhões, sendo as maiores oriundas de contratos em moeda internacional firmados em 2008 (em dólar com o Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID) e 2012 (em euro com a Agência Francesa de Desenvolvimento – AFD). 

Outro ponto questionado pelos vereadores foi o aumento do repasse do Fundo de Participação do Município (FPM). “Tivemos alguns reajustes de valores em alimentos, materiais de construção, por exemplo, além de outras situações, pensamos que isso esteja embutido nesse maior valor que o Governo Federal fez como repasse aos municípios, totalizando mais de 60% de crescimento”, explica Jadyr.

O prefeito Beto Lunitti expôs a importância do momento devido aos esclarecimentos que ele permite à comunidade. “Ele cumpre seu papel constitucional de informar a população e a perspectiva de trabalhar com toda a transparência possível”. Beto mais uma vez reforçou a boa relação com à Câmara que tem, segundo o gestor municipal, a oportunidade de, nas reuniões ordinárias das segundas, debater junto com o Executivo os projetos encaminhados para a Casa de Leis. “Nesses cinco meses de governos são aproximadamente mais de 70 projetos analisados pelos vereadores, alguns já aprovados por esta casa e sancionados por nós, todos eles em consonância com o que está no Plano de Governo, prevendo a reestruturação administrativa e projetos importantes como o Lote Social, o Passe Social, o ‘Toledo é + Negócio”, entre outros”, concluiu.

De acordo com o presidente da Comissão de Orçamentos e Finanças (COF), Jozimar Polasso, a audiência demonstra a boa saúde financeira do município, mesmo trabalhando em um momento bastante complicado devido à pandemia. A apresentação é relevante, pois os vereadores e a comunidade são esclarecidos sobre a arrecadação e também da aplicação dos recursos públicos. “Dentre o que nos foi apresentado, entendemos que, mesmo no momento delicado que estamos passando devido ao coronavírus, o município segue alinhado e dentro da normalidade financeira”, comenta.

Fonte: Secretaria Municipal de Comunicação