Assinatura do chamamento para o programa Agricultura Urbana. Foto: Divulgação/Secom

Atualmente o programa possui 86 áreas de agricultura urbana que beneficiam centenas de famílias que participam das atividades

A produção de alimentos no perímetro urbano ganhou força nos últimos anos, em Cascavel, com a criação do programa Agricultura Urbana. Hoje, são 86 áreas cultivadas e a expectativa é chegar ao fim do ano com 120 hortas em diferentes pontos da cidade.

Na tarde de hoje (5), o prefeito Leonaldo Paranhos assinou o chamamento público com as ONGs que participam do projeto, que é coordenado pelo programa Território Cidadão. Paranhos destacou a importância de produzir alimentos em espaços urbanos, principalmente nesse momento de pandemia para garantir a alimentação para as famílias que necessitam. “É um programa essencial e agora, mais do que nunca, se tornou mais essencial ainda”, afirmou o prefeito.

Patrik  Tristacci, coordenador do programa, explica como será o trabalho das ONGs. “Elas vão fazer parte de todo o trabalho na agricultura urbana, vão prestar assistência em todos os bairros da cidade. Vamos trabalhar nas hortas existentes e na instalação do novas, em outras áreas”, afirma.

O chamamento público dividiu os trabalhos em quatro áreas e cada ONG ficou responsável em cuidar de duas áreas. Elas recebem um valor mensal de R$ 9 mil para o custeio e execução dos trabalhos.

Antonio Marcos Gomes Nogueira, presidente da ONG Amigos dos Rios, também destaca a função social do programa Agricultura Urbana. “Esse programa vem a calhar, porque é uma oportunidade que se tem, na qual a prefeitura vai disponibilizar todo o maquinário para que a pessoa possa fazer do terreno baldio  um espaço produtivo. Então é uma forma de renda”, diz.

Fonte: Secom/Pref. de Cascavel