Foto: Carlos Rodrigues/Secom

O combate à violência contra as mulheres tornou-se nos últimos anos uma política pública permanente em Toledo que tomou corpo no mês de agosto e teve a campanha encerrada ontem, quarta-feira (1º). Lançado oficialmente no último dia 9, em ato realizado no Auditório Acary de Oliveira prestigiado por várias autoridades e lideranças do município, o “Agosto Lilás” foi uma ação capitaneada pela Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM) com o apoio de outros órgãos públicos e de entidades da sociedade civil organizada em torno da qual várias atividades de conscientização da população sobre este problema foram realizadas.

Na data em que a programação foi aberta, Toledo recebeu o “ônibus lilás”, veículo da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho (SEJUF) que percorre os municípios do Paraná com a missão de promover ações de cuidado com as mulheres vítimas de violência e em vulnerabilidade, fomentando a luta contra o feminicídio e a conscientização acerca dos direitos das mulheres. A ocasião também reservou apresentações de dança circular com as alunas do Projeto Primavera, de Linha Gramado – uma parceria entre SPM e Secretaria Municipal de Esportes e Lazer; e de coreografias com balés de repertório com as bailarinas Melissa Mandely (variação de Paquita) e Marcele Luana Quadro da Luz (variação de Gisele), e da artista performática Vitória Sperbe – uma parceria entre Secretaria da Cultura e Núcleo Acadêmico de Dança (NAD).

A campanha, incentivada na Lei Estadual 19.972/2019 e aprovada no início de agosto pela Câmara dos Deputados (Projeto de Lei nº 3.855/2020), teve uma mensagem que foi e continuará sendo divulgada por meio de banners expostos no hall e em banheiros femininos de locais públicos com grande circulação de pessoas (Paço Municipal, Pronto Atendimento Municipal [PAM], Unidade de Pronto Atendimento [UPA] e outros locais), e materiais impressos em português e criolo (idioma nativo do Haiti) que contém o “violentômetro”, escala com 18 comportamentos e sua respectiva gravidade, bem como constam os números para os quais as mulheres em risco podem ligar: 190 (Polícia Militar), 180 (Central de Atendimento à Mulher) e 153 (Guarda Municipal). 

Durante o mês, luzes na cor lilás foram refletidas em prédios públicos e quadros da exposição “Despetaladas”, de autoria da artista Claudia Malman, puderam ser apreciados pelo público no hall de entrada do Teatro Municipal. Falando em cultura, a secretaria municipal responsável pelo assunto em parceria com a SPM, o Conselho Municipal dos Direitos da Mulheres (CMDM) e o Núcleo Maria da Penha (Numape) promoveram o evento “Maria da Penha vai à feira” que foi realizado em conjunto com o “Cultura na Rua” que ocorreu durante as edições da Feira de Artesanato realizadas na Praça Willy Barth, no Jardim Panorama, no distrito de Vila Nova e no Jardim Pancera. 

Com o apoio do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac/PR), Sicredi e Secretaria de Desenvolvimento Ambiental e Saneamento (SMDAS), a SPM desenvolveu, nos dias 22 e 24 de agosto, o projeto “Empodere, Embeleze e Retrate”.  A equipe da SPM também fez ações importantes de divulgação do Agosto Lilás em live promovida pelo Projeto Magnólias, da Pratti-Donaduzzi, e de forma presencial, no Teatro Municipal, com usuárias do Centro de Revitalização da Terceira Idade (Certi) do Jardim Coopagro. Para setembro ações semelhantes serão realizadas junto às trabalhadoras rurais e a estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA), parcerias, respectivamente, com o Sindicato Rural de Toledo e a Secretaria Municipal da Educação.

A secretária de Políticas para Mulheres, Jennifer Teixeira, faz um balanço positivo das atividades do Agosto Lilás e destacou o relevante papel das parcerias firmadas pela pasta. “Todas as ações estavam interligadas e isso nos diz sobre a importância da intersetorialidade. Nós não fizemos nada sozinhas e isso foi fundamental para que o trabalho fosse bem realizado, com um alcance tão grande”, analisa. “Este mês reforçou a percepção de que nós, mulheres, temos muita força quando estamos unidas, contribuindo umas com as outras”, ressalta. 

As ações de combate à violência contra as mulheres, especialmente a doméstica, não vão parar por aí: nas próximas semanas a SPM lançará a campanha do “X” vermelho, na qual as vítimas poderão denunciar casos de agressão de forma discreta em repartições públicas, escolas, estabelecimentos de saúde, entre outros espaços que serão parceiros da iniciativa. “Estão surgindo muitos desafios, os quais nos colocam em posições importantes de decisão, o que nos faz pensar sobre o que queremos daqui em diante. Nós sabemos que, de fato, não vai ser um caminho fácil, porque nós abrimos muitas portas, e agora precisamos trabalhar com esta demanda nova, mas é muito importante dizer que as mulheres não estão sozinhas. Estamos aqui, com uma rede de apoio forte, que tem trabalhado muito intensamente por um mesmo objetivo, o de garantir os nossos direitos a todas nós”, salienta Jennifer.

Fonte: Secretaria Municipal de Comunicação