Saturday, May 30, 2020
Isenção e Verdade


Apreender celular de Bolsonaro teria ‘consequências imprevisíveis’, diz Heleno

O ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, disse nesta sexta-feira (22) que uma eventual apreensão do…

Por redacao gazeta , em Geral , no dia22 de maio de 2020, 17:52h

Clique Aqui


O ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, disse nesta sexta-feira (22) que uma eventual apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) “poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”. Partidos políticos de oposição pediram ao STF (Supremo Tribunal Federal) busca e apreensão de telefones do presidente.

Em nota oficial “à nação brasileira”, Heleno classificou como “inconcebível e, até certo ponto, inacreditável” o pedido dos partidos. leia a nota na íntegra

Segundo Heleno, caso o STF acate o pedido, isso seria “uma afronta à autoridade máxima do Poder Executivo e uma interferência inadmissível de outro Poder, na privacidade do presidente da República e na segurança institucional do País.”

“O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República alerta as autoridades constituídas que tal atitude é uma evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”, diz a nota.

Mais cedo hoje, o ministro Celso de Mello, do STF, pediu uma manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre três notícias-crime apresentadas no final de abril por políticos e partidos de oposição sobre suposta interferência de Bolsonaro na Polícia Federal. Os pedidos foram feitos pela deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR) e pelo governador da Bahia, Rui Costa (PT), e pelas bancadas de PDT, PSB E PV.

O pedido endereçado à PGR foi feito no mesmo dia em que Celso de Mello deve decidir sobre a divulgação do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, citado na investigação sobre a interferência na PF. A gravação deve ser divulgada praticamente na íntegra, com exceção de trechos com comentários sobre China e Paraguai, apurou o analista da CNN Fernando Molica.

Os partidos também pediram a apreensão dos celulares do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), do ex-ministro da Justiça Sergio Moro e do ex-diretor da PF Maurício Valeixo.

No despacho em que pede a manifestação da PGR, Celso de Mello afirmou que é dever jurídico do Estado promover a apuração da “autoria e da materialidade dos fatos delituosos narrados por ‘qualquer pessoa do povo'”.

No mesmo inquérito, o procurador-geral Augusto Aras já afirmou que deputados nao têm competência para interferir e fazer pedidos em investigações que cabem ao MPF (Ministério Público Federal). Fonte: Da CNN, em Brasília e São Paulo

Com informações do Estadão Conteúdo

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
%d blogueiros gostam disto: