Saturday, June 6, 2020
Isenção e Verdade


Operação Profilaxia prende acusado de vender respiradores inadequados

Por Alex Rodrigues – Repórter da Agência Brasil – Brasília Aparelhos não obedeciam critérios exigidos em licitação Policiais federais detiveram,…

Por redacao gazeta , em Geral , no dia14 de maio de 2020, 16:02h

Por Alex Rodrigues – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Aparelhos não obedeciam critérios exigidos em licitação

Policiais federais detiveram, ontem (13), em Brasília, em caráter temporário, o empresário André Felipe de Oliveira da Silva, acusado de participar da venda de 400 aparelhos respiradores para o governo do Pará. Nas últimas eleições, Felipe foi eleito segundo suplente do senador Izalci Lucas (PSDB/DF). Ele também foi secretário de Esporte e Lazer do Distrito Federal no ano de 2007, durante o governo de José Roberto Arruda.

Segundo o governo do Pará, os 152 respiradores mecânicos chineses entregues pela empresa SKN do Brasil Importação e Exportação de Eletroeletrônicos não correspondem aos requisitos necessários para unidades de terapia intensiva (UTIs) do estado, e não poderão ser instalados. De acordo com o governo paraense, o uso dos equipamentos pode colocar em risco os pacientes infectados pelo novo coronavírus. O lote foi adquirido por R$ 25,2 milhões.

A 3º Vara Criminal Federal em Belém também autorizou a prisão de um segundo representante da SKN do Brasil que intermediou a compra dos aparelhos, mas, até a manhã de hoje (14), ele não havia sido localizado. A reportagem não conseguiu confirmar o nome deste segundo acusado, que é considerado foragido.

Além dos dois mandados de prisão temporária, a Justiça Federal também autorizou buscas e apreensões de documentos em endereços ligados aos acusados e a SKN do Brasil. Todos os mandados foram expedidos no âmbito da Operação Profilaxia, que combate desvio de recursos públicos destinados ao enfrentamento da covid-19.

As investigações, a cargo da PF, do Ministério Público Federal e do Ministério Público do estado do Pará, estão sob segredo de Justiça. Ainda assim, em nota, o MPF afirma que “os prováveis crimes ocorridos no Pará têm relação visível com os que ocorreram no Rio de Janeiro, onde também houve a venda de equipamentos defeituosos ao estado”. Para o MPF, os dois casos sugerem a “existência de um esquema nacional para fraudar a compra desses equipamentos em plena pandemia de covid-19.”

Vetores de infecção

O MPF também revela que, segundo técnicos paraenses, além de não servirem para o uso em UTIs, o modelo de ventiladores pulmonares entregues colocariam em risco os pacientes por não possuírem alarmes que indique a interrupção do funcionamento, nem baterias internas para manter a respiração artificial em caso de queda de energia. “Para piorar, os técnicos descobriram que os respiradores poderiam se tornar vetores de infecções, por não permitirem a limpeza e esterilização de fluidos corporais e gases expirados”, sustenta o MPF, em nota.

Agência Brasil não conseguiu contato com a defesa de André Felipe, nem com os representantes da SKN do Brasil.

No último domingo (10), o Tribunal de Justiça do Pará decretou o bloqueio de bens e a retenção dos passaportes dos sócios das SKN do Brasil. Além de André Felipe, figuram como réus na ação: Felipe Nabuco dos Santos; Márcia Velloso de Araújo; Antonio da Silva Alves; Eugêncio Nabuco dos Santos Filho e Alex Nabuco dos Santos.

Dois dias depois (12), o governador Helder Barbalho e membros da equipe de governo conversaram, por videoconferência, com representantes da fabricante chinesa dos respiradores e da empresa brasileira que intermediou a negociação. No Twitter, Barbalho escreveu que “lamentavelmente, ficou claro que não iriam entregar aquilo que o governo [estadual] comprou”. O governador também divulgou um vídeo na rede social. Nele, Barbalho comenta uma outra decisão judicial, a homologação do acordo para que a empresa deposite R$ 25,2 milhões em uma conta judicial a fim de preservar os recursos para eventual devolução ao estado. “Agora, é continuar na luta por novos respiradores e garantir a abertura de novos leitos de UTI”, disse Barbalho.

O governador do Pará enviou, ainda, ofício endereçado ao embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, para solicitar providências e ajuda no caso.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
%d blogueiros gostam disto: