Saturday, July 4, 2020
Isenção e Verdade


Do sonho à realidade: lançamento da pedra fundamental da nova ponte entre Brasil e Paraguai completa um ano

Há exatamente um ano, em 10 de maio de 2019, os presidentes Jair Bolsonaro e Mario Abdo Benitez, brasileiro e…

Por redacao gazeta , em Geral , no dia11 de maio de 2020, 10:01h

Arquivo do lançamento da pedra fundamental: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional

Há exatamente um ano, em 10 de maio de 2019, os presidentes Jair Bolsonaro e Mario Abdo Benitez, brasileiro e paraguaio, lançavam a pedra fundamental da nova ponte entre Brasil e Paraguai, no Marco das Três Fronteiras, em Foz do Iguaçu. Uma das obras mais aguardadas pela população de todo o Paraná, em agosto do mesmo ano a construção já ganhava contornos iniciais e hoje é possível ter uma dimensão mais real de como ela será quando estiver concluída.

À época do lançamento da pedra fundamental, a cerimônia reuniu várias autoridades e parceiros no projeto, entre elas, o general Joaquim Silva e Luna, diretor-geral brasileiro de Itaipu e toda a diretoria da usina. A construção, que é financiada pela hidrelétrica e gerida pelo Estado do Paraná, faz parte de um rol de obras estruturantes que estão garantindo o crescimento sustentável e ordenado de Foz do Iguaçu. Uma parceria entre Itaipu e governos federal, estadual e municipal.

Na fase atual, a Ponte da Integração Brasil-Paraguai, que tem três pilares de sustentação e um pilar principal em cada lado, está em ritmo avançado na margem brasileira, onde um dos pilares de sustentação, que terá 36 metros de altura, já está em 32 metros e avança 20 centímetros por hora, ou seja, quase 5 metros por dia. Cada um desses pilares tem alturas diferentes. O principal terá, ao todo, 120 metros – um em cada margem.

A segunda ponte entre os dois países, sobre o Rio Paraná, faz parte de uma lista de obras que antecedem a fase do Programa Acelera Foz, ancorado pelo Parque Tecnológico Itaipu, que juntamente com vários parceiros de Foz vai dar um incremento à economia da cidade e região. “É a Foz do presente com olho no

futuro, apertando firme no acelerador para colocar a cidade-sede da usina no patamar que merece”, diz o general Silva e Luna.

Fotos recentes da obra: Consórcio Construbase – Cidade – Paulitec

A estrutura

A nova estrutura terá 760 metros de comprimento e um vão livre de 470 metros, com duas torres de 120 metros de altura. O canal de navegação terá 60 metros. A pista será simples, com 3,7 metros de largura de cada lado, além do acostamento de 3 metros e de calçada de 1,70 metro.

O investimento previsto é de R$ 463 milhões, dos quais R$ 323 milhões serão usados na ponte e R$ 140 milhões nas obras da Perimetral Leste, ligação entre a nova estrutura e a BR-277. A previsão é que as obras sejam concluídas até maio de 2022.

A Ponte da Integração aliviará quase que a totalidade do tráfego de cargas da Ponte da Amizade, favorecendo o tráfego de automóveis e ônibus e, em consequência, o turismo de compras em Ciudad del Este.

As obras na Ponte da Integração, Perimetral Leste e Aeroporto geram aproximadamente mil empregos diretos.

Aeroporto

Outra obra importante que vem recebendo recursos de Itaipu é o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu. Por meio de um convênio com a Infraero, a usina está investindo na duplicação dos 800 metros de acesso asfáltico que interliga o terminal de passageiros à BR-469 (Rodovia das Cataratas) e na ampliação do pátio de manobras de aeronaves.

Também investe na ampliação da pista de pouso e decolagens, que passará a contar com mais 600 metros de extensão, além de auxílios na iluminação e de navegação, que ampliarão a capacidade de operação daquele campo de pouso.

Depois de reformado, o aeroporto de Foz do Iguaçu terá capacidade para receber voos de locais mais distantes, como da América do Norte e da Europa, além de passar a ser um possível hub aéreo para destinos na América do Sul.

“Somente essas duas obras, a Ponte da Integração e a ampliação da capacidade de operação do aeroporto internacional, representarão uma nova

onda de desenvolvimento para Foz do Iguaçu e para toda a região. A resposta virá no incremento de negócios e de turismo, vocação natural de Foz”, ressalta o diretor-geral brasileiro. E completa: “É um portfólio de legado para a nossa gente”.

Todos os investimentos de Itaipu, seja em obras estruturantes, reformas, ampliação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, reestruturação do hospital para atendimento à covid-19, compras de testes PCR para detectar a doença e colocar parte de seus leitos para a população do SUS, sem custos, fazem parte da missão ampliada da empresa, que, além de gerar energia elétrica de qualidade, tem o compromisso de impulsionar o desenvolvimento econômico e turístico da região.

A Itaipu

Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, 2,7 bilhões de MWh. Em 2016, a usina brasileira e paraguaia retomou o recorde mundial anual de geração de energia, com a marca de 103.098.366 MWh. A hidrelétrica é responsável pelo abastecimento de aproximadamente 15% de toda a energia consumida pelo Brasil e de 90% do Paraguai. Fonte: Assessoria Itaipu

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
%d blogueiros gostam disto: