Sunday, April 5, 2020
Isenção e Verdade


Quaresma: tempo para reaprender a ouvir Deus

Na Quarta-feira de Cinzas iniciamos o tempo da Quaresma. Tempo propício para nos preparar para a celebração do mistério pascal…

Por redacao gazeta , em Artigo , no dia28 de fevereiro de 2020, 15:05h

Clique Aqui


Na Quarta-feira de Cinzas iniciamos o tempo da Quaresma. Tempo propício para nos preparar para a celebração do mistério pascal de Jesus Cristo, paixão, morte e ressurreição, centro de nossa fé cristã-católica. Neste período seremos convidados a refletir intensamente sobre o nosso Batismo e a vocação que nasce do Batismo onde nos tornamos filhos e filhas de Deus inseridos em uma comunidade com o compromisso de transformar tudo o que nos rodeia em sinal de vida nova. Por isso a Quaresma é tempo para a penitência, isto é, o desejo e o consequente esforço de verdadeira e profunda conversão para que possamos tirar do mistério pascal de Jesus Cristo toda a sua riqueza. Três atitudes devem nos acompanhar neste período: o jejum, relação consigo mesmo, oração, relação com Deus e esmola, relação com os outros.

Neste 1º Domingo da Quaresma, a Palavra de Deus nos coloca no contexto das tentações de Jesus como que antecipando o que acontecerá ao longo da vida de Jesus para realizar o plano do Pai de salvar a humanidade. Em vários momentos ele será tentado a abandonar tudo e seguir um caminho mais fácil, sem dor, sofrimento, afinal Ele é o Filho de Deus e humano como nós. Através da Palavra de Deus e por sua comunhão com o Pai, ele vence o mal porque confia no Pai e coloca a sua vida em suas mãos. Se repararmos bem, as tentações questionam justamente a sua filiação divina e sua missão. Ele se mantém fiel até o fim: “Ele, apesar de sua condição divina, não fez alarde de ser igual a Deus, mas se esvaziou de si e tomou a condição de servo, tornou-se obediente até à morte, morte de cruz” (Fil 2, 6-8).

Jesus nos ensina que também nós podemos vencer as dificuldades que todo dia encontramos na vivência de nossa fé e nos desafios de colocar Deus no centro de nossas vidas e orientar nossas escolhas a partir da fé. Poderíamos dizer: Se Jesus foi tentado, o que dizer de nós? A resposta também Ele dá: sendo assíduos na escuta da Palavra, principalmente através da Leitura Orante, todas as nossas ações estarão de acordo com o querer de Deus e caminharemos na obediência ao Seu projeto de vida e salvação. Esta é a verdadeira experiência da Páscoa!

A Quaresma é um tempo de fortalecer nossa fidelidade ao plano de Deus. Como e com Jesus, orientados pela Palavra viva e eficaz, poderemos discernir, no meio de tantas vozes internas e externas, sinais do Reino e tudo que ameaça a sua realização. Deus nos convida a ir ao nosso “deserto” pessoal e ali nos confrontarmos com nossa realidade profunda, nossos pecados, nossos limites para redescobrimos uma nova vida e reorientarmos nossas escolhas com a ajuda de Deus. “Não tenhais medo, eis que estarei convosco todos os dias até o fim do mundo” (Mt, 28, 20). Não tenhamos medo da tentação, ela é necessária para a verdade de nossas escolhas. Essas tentações fazem parte da nossa realidade humana e cristã. A tentação é a prova de que sempre temos uma escolha, que somos livres e estamos vivos.

Neste contexto de conversão ao projeto salvador do Pai realizado por Jesus, a CNBB nos propõe a Campanha da Fraternidade 2020 com o tema e o lema: Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso / “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10,33-34). Assim somos convidados a refletir sobre o significado mais profundo da vida em suas diversas dimensões: pessoal, comunitária, social e ecológica. A vida é dom e compromisso! Seu sentido consiste em ver, solidarizar-se e cuidar. Significa não passar cego às dores dos outros.

 

Dom João Carlos Seneme, css

Bispo de Toledo

%d blogueiros gostam disto: