Saturday, July 4, 2020
Isenção e Verdade


Querem acabar com esporte “provas de trabalho” – provas de tambores-laços-vaquejadas.

Definições da palavra “demente”:  que ou quem sofre de distúrbio mental temporário ou permanente. FIGURADAMENTE: que ou quem age de…

Por redacao gazeta , em Gente x Poder , no dia27 de fevereiro de 2020, 17:03h

Definições da palavra “demente”:

 que ou quem sofre de distúrbio mental temporário ou permanente.

FIGURADAMENTE:

que ou quem age de forma incoerente ou fora do comum; desmiolado, lunático.

……obrigado “piá-pançudo”, agora, sei do que você sofre, te acalma que esse jornalista “podre” vai lhe enviar algumas “receitas” de como se curar!

Um “freio de boca” na cultura das provas de “trabalho”?

O projeto de Lei nº 146/19 que entraria em votação na sessão dessa quinta feria teve grande repercussão negativa junto aos adeptos das modalidades. O projeto proíbe as provas de Tambores, Vaquejada, Laço em Dupla, Laço Cabeça e Pé, Laço Individual, todas essas modalidades vindas da lida campeira e que viraram esporte.

Um “freio de boca” na cultura das provas de “trabalho”? I

Vários criadores, empresários e grupos que atuam em Toledo se viram perplexos com esse projeto realizaram contatos com vários vereadores e também compareceram à sessão ordinária para pressionar os vereadores a retirar de votação o que foi acatado via requerimento aprovado por todos.

Um “freio de boca” na cultura das provas de “trabalho”? II

O projeto de Lei nº 146 foi retirado de pauta por 3 sessões e uma comitiva dos adeptos serão recebidos na próxima segunda feiras as 09h para que os mesmos possam expor o contraditório, inclusive a Lei Federal nº 13378/19 que já regulamenta e impede os municípios de criarem “regulamentações”.  Como escreveu meu amigo, professor, compositor, cantor e apaixonado pela cultura gaúcha: há controvérsias: Primeiro se doa área para clubes de cavalos, depois, querem proibir os esportes equestres. Não há logica!

Mês de março e as “incertezas”

Há poucos dias do mês mais “importante” na vida dos que detém cargos (pular a janela) ou para aqueles que pretendem ter um cargo em decidir, quais dos cavalos (siglas) escolherão para a disputa da maior corrida (eleições) nada de “certo”, muita incerteza na esfera política local.

Mês de março e as “incertezas” I

Alguns pré-candidatos ao cargo de Lucio de Marchi até, se expõe, como por exemplo Dra. Simone Sponholz em sua página pessoal nada redes sociais afirma que seu rumo será outra sigla devido o projeto de criação do Aliança Pelo Brasil, 38 não ter conseguido o reconhecimento (validação) do mínimo exigido (446mil) filiados dos mais de um milhão de fichas que não foram devidamente reconhecidas em cartórios.

Mês de março e as “incertezas” II

Diz ela: “Nos próximos dias uma importante decisão precisará ser tomada: o sistema eleitoral não permite candidaturas avulsas e o Aliança não terá condições de participar deste pleito”. Após muitas conversas e análises de cada estrutura partidária, a definição por uma filiação será feita! Mas sem nunca deixar de lado os valores que me colocaram na política como pré-candidata! O meu partido sempre será o Brasil! E meu coração, verde e amarelo! Escreveu Dra. Simone Sponholz.

Mês de março e as “incertezas” III

Diante desse cenário em a não existência do partido do presidente do Brasil nas próximas eleições em Toledo, Republicanos, Patriota, PL e PSD buscam filiar os seguidores de Bolsonaro que somam 77% dos votos à presidência.   Aí, fica tudo para o próximo pleito A coordenação do Aliança já indicou que, caso não consiga obter o registro até março, deve liberar seus pré-candidatos para entrarem nos partidos que quiserem.

Mês de março e as “incertezas” III

No PSD de Toledo continua “tudo como dantes, no quartel de Abrantes”. Ou seja, na maior dormência possível, mas, creio que nessa semana tenhamos novidades já que, estou sabendo de uma reunião para as próximas horas. No PSL, sabe-se que, após Bolsonaro abandonar o barco, aqui em Toledo os marujos também irão embarcar em outras “siglas” e, creio que o mais certo será o Patriota, incluindo quem sabe o vereador Leandro Moura, além do grande produtor e defensor do Bolsonaro Neodi Gabardo.

Justa correção

Recebi na Gazeta a visita do produtor Ademir Adamckzuk , pré-candidato a prefeito de Toledo pelo Cidadania23. Ele veio tomar aquele café adoçado com melado de “Capanema” e cobrar a não citação de seu nome na relação dos prováveis pré-candidatos a prefeito. Com toda a razão, foi falha desse colunista e como aqui quem manda é a “verdade”, peço desculpas e reafirmo; Ademir é um pré-candidato a prefeito sim e segundo ele, veio para que o eleitor tenha esperança de “mudanças”.

Ademir Adamckzuk

Capanema – Terra do “melado”

Marcelo Seger é um daqueles cidadãos que apesar das tempestividades da vida, ele sempre transmite “serenidade   e conhecimento” a todos que o rodeia.  Hoje ele ocupa o cargo de assessor parlamentar do deputado Federal Rubens Bueno e atua em mais de 50 cidades do Oeste e sudoeste do Paraná além de ser vice-presidente do Cidadania23 em Toledo.

Neivor, Belle e Seger

Capanema – Terra do “melado” I

Em uma de suas visitas na cidade de Capanema, Seger, comentou com o prefeito Américo Bellé (PDT) que na Gazeta de Toledo o café servido aos visitantes é adoçado com melado e, de imediato, Belle mandou entregar um kilo do principal produto produzido naquela cidade para que os povos de Toledo saibam que eles produzem o melhor melado do Sul.  Também chegou a informação de que o prefeito irá determinar que na prefeitura dele se adote o melado como adoçante do café. Obrigado e já consumimos aquele e Marcelo, deve passar aí na próxima semana….

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
%d blogueiros gostam disto: