Wednesday, June 3, 2020
Isenção e Verdade


Mini terá novo espaço para atendimento de casos suspeitos de dengue

O Secretário Estadual de Saúde do Paraná (Sesa), Beto Preto, anunciou durante reunião da Comissão Intergestora Bipartite que este ano…

Por redacao gazeta , em Cidade , no dia24 de fevereiro de 2020, 14:49h

O Secretário Estadual de Saúde do Paraná (Sesa), Beto Preto, anunciou durante reunião da Comissão Intergestora Bipartite que este ano teremos a maior epidemia de dengue do Paraná. Em todo o estado os casos confirmados de pessoas com a doença estão crescendo de forma assustadora e preocupante.

Em Toledo, mesmo com o reforço nas campanhas de prevenção e nas orientações dos Agentes de Endemias, o número de casos também deu um salto significativo. A Vigilância Epidemiológica informou que, desde o primeiro dia de janeiro até esta sexta-feira (21) às 15h, foram registradas 286 notificações, 16 casos importados confirmados, 108 casos autóctones confirmados. Ao todo, são 124 casos de dengue no município. Sendo que 38 foram descartados.

A título de comparação, no último dia 18 de fevereiro tinham 231 notificações, 35 negativos, 16 importados e 83 casos autóctones confirmados. Ou seja, foram confirmados 25 casos de dengue em menos de três dias.

Mini hospital

O número de casos suspeitos de dengue nos pronto atendimentos nestes últimos dias refletiu a preocupação da Sesa e motivou a Secretaria de Saúde a tomar medidas preventivas para o enfrentamento. Um espaço extra foi providenciado no Mini hospital para receber os casos classificados de dengue tipo B.

“Já temos uma sala separada que abrimos há uns dez dias, mas com o aumento expressivo da demanda de casos suspeitos ou com sintomas similares aos da dengue motivou a abertura de um ambiente para atender em um espaço digno os pacientes”, explicou a Diretora de Enfermagem, Volmara Fátima Carminatti.

Rotina

Aqueles pacientes que chegam com febre alta, dores e manchas avermelhadas no corpo passam por uma avaliação médica. Dependendo do caso são encaminhados para a rede básica (Dengue tipo A) ou permanecem no pronto atendimento para hidratação e observação (Dengue tipo B).

Nesse período, enquanto os pacientes aguardam o resultado de exames de sangue são levados para hidratação nos espaços providenciados na estrutura do Mini hospital. Um dos ambientes está equipado com poltronas e outro com leitos, ambos para propiciar um atendimento mais humanizado.

A Secretária de Saúde, Denise Liell, informou que neste espaço o paciente pode ficar de três a quatro horas recebendo hidratação. Com o resultado dos hemogramas, volta para análise médica, em seguida é liberado com orientações e/ou medicações.

“Estamos organizados para receber e atender os pacientes e os casos suspeitos da dengue. Se percebermos que há a necessidade de viabilizar novos espaços para acomodá-los, assim o faremos. Como estamos em época de epidemia, temos que estar preparados, pois o cenário para este ano não é nada animador”, alertou a Secretária de Saúde.

Prevenção

Além dos cuidados amplamente divulgados para reduzir o número de mosquitos transmissores da dengue, as autoridades sanitárias sugerem que a população faça uso de repelentes, geralmente encontrados como sprays. A leitura realizada é que o mosquito contaminado já está circulando e a única forma de diminuir ou barrar a transmissão da doença é evitando a picada do mosquito.

Fonte: Secom/Pref. de Toledo

 

 

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support
%d blogueiros gostam disto: